6 de mai de 2013

Rafael e Emygdio: Dois Modernos no Engenho de Dentro





O Instituto Moreira Salles de São Paulo abriu em 9 de abril a exposição Raphael e Emygdio: dois modernos no Engenho de Dentro, com 100 obras.

Entre desenhos e pinturas de Raphael Domingues (1912-1979) e Emygdio de Barros (1895-1986) que, diagnosticados como esquizofrênicos, frequentaram o ateliê de artes do Setor de Terapêutica Ocupacional e Reabilitação do Instituto Municipal Nise da Silveira, no bairro carioca do Engenho de Dentro.



O ateliê de artes foi fundado em 1946 pela psiquiatra Nise da Silveira (1905-1999), com o objetivo de criar alternativas aos procedimentos agressivos usados no tratamentos de pacientes psiquiátricos naquele momento: a lobotomia, o choque elétrico e a injeção de insulina.


Para a médica, a produção plástica era uma porta de entrada para a psique de seus pacientes, uma forma de comunicação com pessoas que tinham grande dificuldade de se expressar verbalmente. 


Raphael e Emygdio participaram dos primórdios do ateliê, tendo sido assistidos pelo artista Almir Mavignier, que foi monitor daquele espaço entre 1946 e 1951. 


Estes dois homens com um profundo comprometimento psíquico produziram obras de inegável valor artístico, com características do movimento modernista. 

A exposição está linda. Não perca!


Raphael e Emygdio: dois modernos no Engenho de Dentro

Abertura: 9 de abril de 2013, às 19h30
Exposição: de 10 de abril a 7 de julho de 2013
De terça a sexta, das 13h às 19h
Sábado, domingo e feriado, das 13h às 18h
Entrada franca - Classificação livre

Instituto Moreira Salles – São Paulo
Rua Piauí, 844, 1º andar, Higienópolis
Tel.: (11) 3825-2560


9 comentários:

  1. What a wonderful inspirational story! When I was teaching school, I did a lot of drawing with my class. Many times I had little boys with ADHD who told me that drawing was the only thing that made them feel calm. They were the best little artists too!

    ResponderExcluir
  2. Aaah, pena que não é poor aqui em fortaleza/ce!
    Vem deixar um recadinho para a gente!! ;)
    blog da tarde.

    ResponderExcluir
  3. Um belíssimo trabalho, a deficiência não alterou em nada seu dom. isso mostra que somos capazes de ser feliz.
    Bjos e tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  4. Oi Cris:
    As obras são muito lindas mesmo.
    Eu que não tenho esse dom, admiro demais quem consegue se expressar através de qualquer obra artística.
    E por falar em arte, fiz uma com seu blog, rsrsrsrsr.
    Me visita pra conferir, pois gostaria de saber sua opinião, ok.
    Bjs.:
    Sil
    http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Cris, realmente uma exposição imperdível!
    Muito obrigada por compartilhar!

    beijinhos e boa semana ;)

    ResponderExcluir
  6. Oi, Cris!
    Muito obrigada por compartilhar! Já está na minha agenda!
    Beijinhos e boa semana ;)

    ResponderExcluir
  7. Arte-terapia... Minha filha Lola adoraria trabalhar com isso. Se formou em Artes Visuais na Unesp, tentou exercer a profissão e agora está batalhando concurso público - no nosso país, artista só ganha bem se produzir algo que dê sorte de cair no gosto da mídia. Pintar um quadro lindo como uma fotografia e vender por 150 reais não põe o pão na mesa... Mas ela já me falou bastante, com brilho nos olhos, sobre o bem que a Arte faz ajudando pessoas com problemas, doentes, traumatizadas, com dificuldade de se expressar... E às vezes, dentre elas, surgem Van Goghs, não é mesmo? Como esses... Beijos.

    ResponderExcluir
  8. A arte como processo terapeutico é um tema apaixonante. Vá lá a gente conhecer os meandros do cérebro?
    Beijo, linda!

    ResponderExcluir
  9. Gosto da arte como uma porta de entrada e ao mesmo tempo uma expressão da psique... Acho que a arte é uma das formas mais bonitas de sublimar crises e dificuldades... Beijãooo Cris

    ResponderExcluir