24 de set de 2013

Homens no Divã


Homens no Divã
Serge Hefez
Ed. Benvirá

Este livro é excelente!

A grande pergunta que o livro tenta responder é: O que é ser homem nos dias de hoje? 

O autor é um psiquiatra francês, especializado em terapia de casais e famílias. Tive a oportunidade de conhecer seu trabalho quando estive fazendo um curso em Paris e adorei, mas suas obras não existiam por aqui. 

Embora seja um livro com bastante informação, é gostoso de ler pois ele não usa termos técnicos, sua linguagem é clara e acessível. O conteúdo é ilustrado com histórias de pacientes que  atende no consultório, o que torna o livro envolvente.

Ele começa botando abaixo as simplificações baratas do tipo: Homens são de Marte e Mulheres são de Vênus...

Mostra desde o nascimento, toda a evolução física e psíquica para que o menino se torne homem, as questões da definição da identidade sexual e o papel dos pais em todo esse processo; depois passa para a fase adulta: a forma de ver o mundo, o papel do trabalho, do sexo, as dificuldades nos relacionamentos, a relação  com os filhos...

O curioso é que ao falar do funcionamento masculino, ele mostra muito da psicologia feminina.

Outra coisa importante: ele também tem experiência no atendimento de casais homossexuais e famílias homoparentais, há relatos de casos muito interessantes.

Um livro fundamental  para quem deseja compreender melhor os universos masculino e feminino e as interações entre eles. Se você tiver conhecimentos básicos de psicologia vai conseguir aproveitar muito.

Uma leitura que realmente amplia horizontes e desfaz equívocos.

Recomendo a todas e principalmente às participantes dos grupos!

Se você é terapeuta, esta leitura é indispensável.


Preserve a natureza, compre livros semi-novos, quanto mais um livro circula, menos árvores são cortadas. Sem falar que sai bem mais em conta...Comprei o meu em ótimo estado aqui.

12 comentários:

  1. Oi Cris!

    Gostei muito da dica, pois confesso que às vezes o universo masculino é um mistério.
    É bem fácil cairmos sempre na generalização do costumeiro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Cris,
    Adorei a indicação. Eu nunca tinha lido ou ouvido sobre este livro.
    Beijos 1000 e uma terça-feira maravilhosa para vc.

    Gosto disto!

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Cristiane.
    Parece ser bem interessante sim.
    Obrigada por partilhar.
    Quem sabe ainda o vou ler.
    Beijinhos e boa semana

    ResponderExcluir
  4. Oi Cris,
    Hummm indicação chegou em boa hora!
    Obrigada por compartilhar!
    Em breve compartilho o post sobre a depressão, obrigada desde já!
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Pois é Cris, sabe que eu não li o livro Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus, porque de cara já não gostei do título. É claro que existem diferenças entre homens e mulheres, mas nem por isso precisamos pertencer ou habitar em mundos diferentes. Entendi o título, mas não gostei, sei lá, me soou meio preconceituoso - e desculpe se estiver errada. Acho que nem tudo de ruim ou de bom que acontece, deva ser atibuido ao sexo, seja masculino ou feminino, mas sim ao caráter da pessoa, visto que casais homossexuais também passam pelos mesmos perrengues que os casais heterossexuais. Acho que as diferenças, estão mais ligadas a socialização das crianças, e principalmente a cultura e costumes de alguns países. Sei lá, talvez esteja falando um monte de bobagem, mas acho que nos dias de hoje não dá mesmo para separar , acho que homem e mulheres estão muito próximos, talvez por isso não dê paar falar do funcionamento masculino sem falar da psicologia feminina. Acho que hoje os papéis estão se misturando. Já não existe mais só coisa de mulher, para mulher... Não existe mais exclusividade nesse sentido. As mulheres invadiram o universo masculino e vice e versa. Espero que não tenha me desviado do assunto...rsrsrs

    Beijo minha querida e uma semana de muita paz!

    Denise - dojeitode.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Deve ser realmente um livro interessante e curioso de se ler, Doutora querida.

    Sabe, o universo masculino me encanta ainda mais do que o feminino: tenho três irmãos mais novos, nos quais eu dava banho, contava histórias quando eram pequenos e dos quais acompanhei - mais ou menos - o desenvolvimento. Digo "mais ou menos" porque também tinha minha vida prá viver, minha escola, minhas amigas, então acompanhei meio pela metade... Mas o meu filho - que agora é adulto - foi um interessante material de pesquisa para a minha alma. Acompanhei de perto, com microscópio mesmo, cada palavra nova, cada pesadelo e sonho compartilhado, cada amizade nova e cada mudança. Ele foi - dos meus três filhos - a criança mais doce e mais amorosa de todas (e olha que isso significa muito, pois as meninas também o são...). Mas ele me chamava de "coraçãozinho", de "minha querida", de "meu amorzinho"... Aos poucos foi crescendo e aprendendo a se posicionar de forma diferente - quase como se ser doce fosse algo proibido para um homem, fosse demonstração de fraqueza. Em seu coração e em seus olhos ainda existe esse mesmo carinho extremo, mas hoje, do alto dos seus 1,83m, ele me chama de "velha" (com amor...)... A vida exige dos homens que eles não demonstrem tanto o que sentem, que eles sejam firmes e fortes - e às vezes, eu ainda peço que ele me chame de "coraçãozinho"... Ele me adora, cuida da minha saúde junto das meninas, não pode me ver gostar de nada que vai atrás prá mim, mas sempre forte, nunca mais tão doce...

    Às vezes tenho um pouco de pena do sexo masculino - parece bobagem... - mas adoro ser mulher e poder chorar vendo comercial de televisão...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oieeee... Huuummm, o blog mudou a roupinha, hehe... Ficou lindo e adoro azul!!!
    Desculpe o sumiço minha amiga, mas está tudo bem, só ando em função de organizar tudo a tempo para a chegada da Maria... Não ando lendo muito, mas assisto filmes e tento relaxar... Adorei o título do livro que comprasse, parece bom!!!! Aqui só choveu durante quase uma semana...
    Uma linda semana Cris!!! Saudade flor...

    ResponderExcluir
  8. Esse livro também parece ser ótimo!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Não que seja a minha área, mas parece-me bem, parece-me importante e interessante derrubar clichés!

    ResponderExcluir
  10. Olá Cristiane,

    Mais uma boa dica. Vou procurar, lê e quem sabe convencer o marido a lê também. Sempre tive vontade de entender o lado pai do marido, um paizão que se perdeu um pouco com o crescimento das filhas, e o porque. Quem sabe o livro me ajude.
    O blog ficou lindo na nova roupa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Que alegria Cristiane, finalmente um libro que encontrei a versão em italiano e ainda por cima pela metade do preço (7,60 euros)! Já estou comprando:)
    Muito obrigada por tuas dicas valiosas.
    Um grande abraço
    Léia

    ResponderExcluir