23 de jun de 2014

O Solstício de Inverno



Sábado, dia 21, exatamente às 10h e 51 min entramos oficialmente no Inverno. 

Foi a noite mais longa do ano, contendo em si a semente da luz -  que começa a aumentar juntamente com a duração do dia - até chegarmos ao equinócio da primavera, quando o dia e a noite terão a mesma duração.


Na antiguidade esta data era extremamente importante, marcando o Renascimento do Sol e a Regeneração da Terra. Havia muitas festas e danças ao redor do fogo, e o costume de pular a fogueira, que  consideravam uma forma de purificação. Os solteiros que pulassem a fogueira acreditavam que encontrariam seu amor.

Estes costumes sofreram várias mudanças ao longo do tempo. No Brasil temos as festas juninas, uma lembrança desta época. Não é à toa que se canta: “Pula a fogueira Iaiá, pula a fogueira Ioiô..."




Com relação à saúde: as temperaturas mais frias são propícias para exercícios  vigorosos que ativam a circulação do sangue e aquecem o corpo. Também é preciso cuidar dos rins, o órgão chave desta estação, tomando muitos líquidos como sopas, caldos, chás…


Use  e abuse do gengibre nos chás e sopas, ele desintoxica o fígado e tonifica os rins, aumentando o fluxo da energia vital. O cravo e a canela, o mel e o limão também são bem vindos, ajudam a esquentar e a combater infecções.

O Inverno é o tempo do conforto, da boa comida, do aquecimento, do toque da mão amiga, da conversa ao pé da lareira: é o tempo do lar.



Do ponto de vista espiritual é uma época de regeneração, purificação e recolhimento. Quando refletimos sobre nosso caminho e fazemos as correções necessárias na trajetória para seguirmos na direção correta. O momento de vislumbrar o futuro, meditando e confiando nas orientações da nossa voz interior. É a incubação.

“A consciência de uma planta no meio do inverno não está voltada para o verão que passou, mas para a primavera que irá chegar. A planta não pensa nos dias que já foram, mas nos que virão. Se as plantas estão certas de que a primavera virá, por que nós – os humanos – não acreditamos que um dia seremos capazes de atingir tudo o que queríamos?”
Khalil Gibran




6 comentários:

  1. A cada tempo sua sabedoria; a cada um de nós cabe apurar os sentidos para vivê-las intensamente e delas nutrirmos o que de melhor existe. Sou outono disparado e aprecio muito um toque invernal.
    Meu cházinho com gengibre é de lei.
    Lindo post, Cris.
    Um belo inverno pra nós :)
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  2. Cris, querida!

    Aqui onde moro, os ipês rosa dão as boas vindas ao inverno...inverno florido!! Isso é um encanto!

    Adorei a reflexão que você escolheu.

    A natureza silenciosamente nos ensina como ser e proceder para que tenhamos dias mais bonitos...o filósofo poeta descobriu e nos faz lembrar...

    Tenha uma semana iluminada,

    beijinhos,

    Lígia e =^.^=

    ResponderExcluir
  3. Querida Cristiane
    Eu não sabia que na antiguidade tinha-se o costume de pular a fogueira!
    Também acho que o inverno é o tempo do conforto e da boa comida.
    Por aqui, entramos no verão e o apetite vai embora com o inverno:)
    Te desejo uma ótima semana.
    Bjos
    Léia

    ResponderExcluir
  4. Olá Cristiane,
    Muito boas, as dicas de alimentação, nada melhor que aquercer o corpo e a almo com um bom chá com gengibre. Também gostei muito da citação.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Cristiane,
    Adoro ler seus posts!
    Essa relação da natureza com a essência do humano e o sagrado, me encanta!
    Tudo se harmoniza, se complementa!
    Felicidades para você!

    ResponderExcluir
  6. Oi Cristiane
    Gosto muito do que leio no teu blog, sempre há um assunto para ensinar e refletir. Que o solstício continue te iluminando e que tua luz reflita em nós. Beijos
    Joana

    ResponderExcluir