5 de jun de 2014

Os Estágios do Perdão


 O perdão não é uma graça que cai do céu, mas um poderoso ato de criação. Ele é um processo que envolve etapas básicas que valem tanto para o perdão de si mesma como de outros:
1 - Deixar a questão em paz por um tempo.
O perdão não é algo imediato, é necessário dar algum tempo a si mesma, com se desse umas pequenas férias ao assunto.
Isto evita que você acabe com suas forças ruminando o tema e faz com que se fortaleça por outros meios, que  se permita outras alegrias na vida.
Toda vez que o assunto voltar, deixe-o de lado, diga a si mesma que precisa deste tempo e volte a fazer algo que te nutra como tecer, escrever, dançar, nadar, pintar, contemplar a natureza, etc… Isto é medicinal.



2 - Controlar-se, renunciar à punição.
Esta segunda etapa é muito importante: durante esse tempo, desista de punir a si mesma ou à pessoa que cometeu a ofensa. 
Evite resmungos e reclamações, atitudes hostis consigo mesma e com os outros. Isto evita que a negatividade se espalhe e contamine toda a sua alma.
Se tiver necessidade de falar sobre este assunto, escreva um diário ou procure alguém de confiança ou um terapeuta.
Controlar-se é um ato de generosidade consigo mesma, mas se houver momentos de raiva incontrolável, soque uma almofada ou travesseiro até a raiva passar. 
Permita que o tempo faça seu trabalho.




3 - A Reparação
 Ouça sua alma, ela vai lhe mostrar quando já foi tempo suficiente. Então, com menos energia dispersa pela raiva, pode-se pensar na possibilidade de reparação do ato. Se for possível, busque a reparação sem causar mais sofrimento a si mesma ou ao outro. Mas nem sempre é possível; e se não for, é necessário criar uma reparação simbólica. Se tiver dificuldade com isso, a ajuda de um terapeuta pode ser importante.



4 - Esquecer, afastar da memória, recusar-se a repisar
Passado o tempo de fortalecimento, da reflexão e da reparação, é hora de esquecer o assunto ou pelo menos recusar-se a repisá-lo vezes sem conta. 
Cada vez que você remói algo, fortalece os circuitos neuronais que o mantém na memória, e ativa o sistema límbico (responsável pelas emoções) que produz uma grande quantidade de neurotransmissores que fazem seu corpo reviver todo o sofrimento. 
Se evitar conscientemente fazê-lo, afastando a cena da mente e buscando outros interesses, você deixa de reforçar esses circuitos e o assunto deixa de ocupar o plano principal da sua vida. Desapegue, deixe ir. Pratique esta etapa durante o tempo que achar necessário.


5 - Perdoar, abandonar a dívida
Nesta fase, você vai fazer a decisão consciente de deixar de abrigar o ressentimento. É você que decide quando perdoar, e qual a dívida que agora não precisa mais ser paga. 
Você decide também o como: se vai perdoar só por enquanto, ou se vai perdoar mas não vai dar outra chance, ou vai dar uma segunda chance, ou se vai perdoar mas precisa se afastar daquela situação que a prejudica, ou se consegue perdoar  apenas uma parte da ofensa, ou se vai perdoar totalmente. É você quem decide.
Você também decide qual o ritual simbólico que vai marcar este evento. É muito importante marcar simbolicamente a finalização deste processo.


E como saber que perdoou?
Você passa a sentir tristeza ao invés de raiva, e compaixão ao invés de irritação. Você compreende o sofrimento que provocou a ofensa e prefere se manter fora daquele meio. Você não espera por nada.
Aos poucos, você pára de pensar no assunto, a vida volta a seguir e a brilhar.


Clique aqui para reler o post anterior, onde falamos dos limites da raiva e do perdão.

Há duas práticas muito úteis nestes momentos: A Invocação da Luz Divina (aqui) e a Prece do Perdão (aqui).





16 comentários:

  1. Olá Cristiane,

    É muito interessante entender como o processo acontece, seria ótimo conseguir cumprir bem todas as etapas. Imagino que a recompensa do bem estar final seja de verdade muito boa. A maneira como coloca, clara e direta, já é muito reparadora. Tentar entender e lidar com sentimentos negativos como a raiva e o ressentimento costuma ser muito doloroso e as vezes bem difícil de romper, o entendimento do processo ajudará muito.
    Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  2. Oi Cris,
    Este texto deve ser lido mais de uma vez para ser interiorizado.
    É tudo muito simples mas não é fácil principalmente quado a raiva está presente. Dar socos na almofada é uma excelente dica!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Cris,
    Adorei! Vou pensar muito sobre esse post, são ótimas as etapas.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Lindíssimo post, Doutora querida, delicioso de ler e meditar. E as imagens... Doces e lindas como tem que ser quando a gente encontra o perdão de verdade dentro do coração, respira fundo e segue a vida, sem devolver com mal o mal que nos fizeram... Quero mais...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Estes preciosos aconselhamentos são como tratamento para a saúde da alma, Cristiane.Cada etapa descrita nos ilumina diante da névoa provocada pela mágoa /ressentimento.Fiquei especialmente tocada com a condução de um ritual simbólico para marcar a finalização do processo.Impressionante.
    Obrigada pela maravilhosa partilha.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  6. Ola Cristina !
    A cada dia que leio seus artigos descubro as chaves para soluções que nao encontrava ou que talvez nao estivessem tao claras , eh realmente complicado lidar com esses sentimentos, as vezes a gente espera ajuda de fora, mas acho que a resposta esta dentro da gente...Obrigada !!! Vou ler e reler os posts sobre o processo da raiva e perdao,...antes me sentia impotente face a algumas situações, mas acho que vou conseguir lidar melhor agora, vou tentar....Merci et Bisous de la Provence

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Cris!
    Que linda esta postagem, tão verdadeira e necessária para nossa vida...perdoar, evoluir, amadurecer! o silêncio que entristece, leva à meditação que felicita! amei...beijos e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  8. Oi Cris,
    Este post é para ler e reler. Imprimir e colocar no espelho para ler toda manhã. Eu tenho facilidade de perdoar quem me fere, mas tenho a maior dificuldade de me perdoar pelos meus erros.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Cris
    Estou encantandacom seus posts sobre o perdão, palavra forte demais e nem todos sabem usá-la ou sentí-la. Cada etapa é valiosa demais para quem perdão a dar ou receber.
    Bjos,
    Sheyla.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Cristiane!
    Senti muita paz lendo esse post e feliz em saber que consegui perdoar tantas pessoas e a mim mesma, pois em relação a elas e a mim sinto apenas tristeza e compaixão.
    Parabéns pelo trabalho abençoado que você desenvolve.
    Te desejo um ótimo fim de semana.
    Abraços fraternos
    Léia

    ResponderExcluir
  11. Cristiane, eu amei esse post. Espero que quem esteja precisando, possa ler esse texto. Percebo que o tempo é nosso aliado na questão do perdão. É um longo 'exercício' e dependendo leva-se meses... anos. Mas a sensação do perdão é realmente divina, maravilhosa! Vou ler os outros post sobre o assunto. Beijos, Paula

    ResponderExcluir
  12. adorei esse texto
    bjs
    Flavia
    www.adoteumfocinhocarente.blogspot.com
    loja virtual: www.adote.iluria.com

    ResponderExcluir
  13. Simplesmente divino!!!
    Clap clap clap clap clap, palmas e mais palmas, amei demais!!!
    Beijinhos Cris lindona, adorável e tão amável em compartilhar coisas tão lindas para a nossa vida.

    Flores e Luz.

    ResponderExcluir
  14. Como precisava ler isso , vou escrever tudo para poder ter esse post sempre perto.

    ResponderExcluir
  15. O post me caiu como uma luva, pois passei por todos estes estágios e hoje sou uma pessoa livre, não guardo mágoa, mas voltar a confiar de novo nunca mais. Beijos e um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  16. Obrigada Dra. Cristiane.
    Abraços carinhosos

    ResponderExcluir