28 de ago de 2014

Como me Tornei Vegetariana


Resolvi compartilhar minha história porque acho que pode ser útil a vocês.
Bom meninas, quem frequenta o blog já deve ter percebido pelas postagens e também pela barra lateral que adoro animais, não é? Sou ativista em defesa deles e apóio ONGs que os protegem.
Gosto de todos, sem distinção, até dos insetos…já tive muitos animais de estimação de várias espécies, mas no meu pedestal estão os gatos.


Tive um porquinho de estimação que mudou minha forma de ver os animais, seu amor me transformou, quem sabe um dia conto esta historia para vocês...


Meu amor pelos animais é tanto, que decidi me tornar ovo-lacto-vegetariana (mesmo gostando de pratos feitos com carnes). Não consigo nem pensar na possibilidade de transformar um ser inteligente, que sente e sofre, em comida. Ainda mais depois que descobri a forma como esses seres são tratados e abatidos. Sem falar na questão da sustentabilidade...
Além disso, não uso nada de couro e nem produtos de limpeza ou cosméticos com crueldade animal embutida.



Mas não foi fácil...
Na primeira tentativa retirei de uma vez todo tipo de carne, e  como não sabia fazer as substituições corretas, depois de alguns meses fiquei doente, tive uma infecção grave. Voltei a comer carne branca por um tempo, mas não desisti do meu objetivo.
Depois que me senti recuperada, fiz uma nova tentativa, só que de forma totalmente diferente. Eu já havia abolido a carne vermelha, o que fez uma diferença enorme. Tinha uma gastrite que não melhorava com nada e sumiu depois de  algumas semanas sem a carne vermelha.
Então, passei seis meses comendo carne branca (aves e peixes) algumas vezes por semana e aprendendo receitas criativas e gostosas para usar os grãos como substitutos da carne: feijões, lentilha, grão de bico, quinoa, soja, castanhas, etc…


Nenhum destes pratos apetitosos tem carne!

Eu gosto de comer bem, nada de comida natureba, e  também não sou fã de proteína de soja, sempre achei que tinha gosto de papelão e um cheiro horrível. 

Então surgiu o desafio, comecei a pesquisar as receitas de meus pratos preferidos substituindo a carne, e criei tortas, rocamboles, hambúrgueres, almôndegas, feijoadas, cozidos e etc…tudo a base de vegetais e às vezes com um toque de queijo provolone  para dar aquele gostinho de defumado. E também descobri como deixar a proteína de soja bem saborosa!


Passados aqueles seis meses, aboli as aves. Mantive o peixe duas vezes por semana e fui incrementando as opões vegetarianas. E finalmente aboli os peixes também…isso já faz 15 anos! Desde então minha saúde está cada vez melhor, nunca tive nenhuma deficiência de vitaminas nem anemia. 
Não consigo nem me lembrar do sabor que as carnes tinham, não sinto a menor falta.
Meu marido e meu filho são onívoros, mas respeitam a minha opção. Eles não comem carnes todos os dias e até se surpreendem com o sabor de alguns pratos vegetarianos!
Detalhe para as mães: Meu filho não comeu carne até os 10 anos de idade, quando decidiu se tornar onívoro como o pai. E ele sempre teve uma saúde ótima!



Ainda uso ovos e laticínios, mas somente de produtores orgânicos onde as galinhas são criadas soltas, e as vacas tratadas com dignidade. Mas estou reduzindo cada vez mais o consumo destes produtos também.

Sabe o que é mais difícil em ser vegetariana? É agüentar as críticas e os palpites dos outros! 

Hoje nem ligo mais, porque sei que são fruto de pura ignorância. Quando alguém me convida para um churrasco, eu agradeço o convite e digo que não poderei ir. Não dou muitas explicações, porque senão ouço cada “pérola"...




E tem um aspecto interessante: percebi que com a saída das carnes,  a intuição ficou mais aguçada e as práticas meditativas e espirituais ganharam uma nova dimensão.


Todas as fotos: Pinterest

Durante nossos encontros, muitas amigas comentam que gostariam de tentar o vegetarianismo, mas têm dificuldades com as substituições, com a adaptação das receitas, e etc…então, como acumulei uma certa experiência no assunto, vou compartilhar com vocês. 

Periodicamente vou publicar minhas receitas preferidas  e também algumas dicas para incentivá-las.

Mesmo que você não se torne vegetariana, experimente ter na sua semana alguns dias sem as carnes; sua saúde, sua alma e o planeta agradecerão!









17 comentários:

  1. Bom dia, Cris!!! Minha visita ao seu blog é diária... rs Adoro tudo o que posta, e você já sabe. Quando li "O Caminho para Avalon", uma das passagens que mais me encantou foi aquela em que a Jean descobre que não tinha mais vontade de consumir carne e nem álcool. Ela se surpreendeu com isso. E algo deu um estalo dentro de mim... Eu me percebo ingerindo tanta energia tóxica e gostaria de tentar. Diminuí o consumo de carne vermelha... Sempre que posso, eu evito... Mas estou longe de atingir aquilo que gostaria, principalmente por não saber como fazer as substituições corretas, e também pelas "críticas" e pelo meu filho... Ele tem 6 anos e fico com receio de não querer mais comer carne e acho que seria importante (ou não? rs). Vai ajudar muito com suas dicas. Poste também endereços de sites confiáveis onde poderemos obter boas informações. Tenha um ótimo dia e até mais!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Carol, meu filho foi criado sem carne até os 10 anos, quando decidiu se tornar onívoro, e ele sempre teve uma saúde de ferro. Os amiguinhos na escola ficavam com viroses, tomavam antibióticos, etc… e ele sempre forte…
    Se tiver dúvidas, há nutricionistas especializadas em vegetarianos que podem te ajudar.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Cris! Pois é, fui em uma nutricionista e ela me questionou porque eu não queria mais comer carne, rsrsrs... Preciso ir atrás de quem apóia ;) Nem tinha pensado nisso. Beijos!!!

      Excluir
  3. Super a cara de uma amiga minha, vou passar o link para ela :)

    ResponderExcluir
  4. Doutora querida, meus filhos nunca provaram carne na vida. Quando eram pequenos, até salgadinhos que os coleguinhas ofereciam eles tinham medo de provar e ter "bicho morto" dentro - como eles diziam... Não sei se isso influenciou o temperamento deles, são tão calmos, alegres, felizes...

    Um dia eu deixo de comer peixe...

    E olha só que coincidência: eu também uso provolone prá dar sabor - a casquinha dele no feijão dá um gostinho tão bom!!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Que tal um livro de suas receitas, ajudaria muitas pessoas a fazer essa transição.
    Grande beijo ;)

    ResponderExcluir
  6. Te admiro muito Cris, deve ser mesmo muito difícil.
    Depois conta a história do teu porquinho, quero saber...Olha adorei a idéia de você postar receitas, alguns dias sem comer carne me agradou muito!
    Boa noite amiga!
    bjus!

    ResponderExcluir
  7. Querida Cristiane,
    Sinto que também vou por esse caminho!
    Compartilhar suas receitas e experiências é motivador!
    Obrigado!
    Felicidades para você!

    ResponderExcluir
  8. Querida Cris, quanto tempo não venho aqui te visitar neste cantinho que tanto adoro!! Na verdade, toda a vez que chego ao Brasil, minha vida fica super agitada...o que é ótimo...rsrs. Adorei ler sobre a sua experiência, me identifiquei muito com ela, pois passei por algo semelhante e por dois períodos na minha vida que duraram alguns anos me tornei vegana e depois em outra tentativa, ovo-lacto-vegetariana, acabei voltando pela mesma razão, por falta de experiência e conhecimento acabei doente e retomei o consumo de carnes. Hoje em dia apesar do meu consumo de carnes ser bem reduzido, ainda não desisti de diminuir ainda mais, até o dia em que vou conseguir parar de vez. O mais difícil para mim é abrir mão dos nossos amiguinhos do mar, que adoro. É difícil mesmo Cris e admiro muito você por ter alcançado o seu objetivo e por nos passar a sua experiência, que ajuda muito. A ideia de postar receitas é excelente e eu vou adorar experimenta-las. Um grande beijo e um ótimo fim de semana de uma seguidora que é muito sua fã!!

    ResponderExcluir
  9. Cris,
    me encontro no mesmo patamar de tuas amigas aqui citadas, tenho a maior admiração por quem , como vc, consegui adotar completamente uma opção de vida.Eu já restrinjo bastante o consumo da carne vermelha, mas sou a única aqui em casa.Tinha também ouvido falar sobre a limpeza energética que esta prática causa e agora com teu depoimento me encorajo a aprimorar meus hábitos no caminho do vegetarianismo.
    Os alimentos parecem bem apetitosos \0/
    Bjkas e belo final de semana.
    Calu

    Obs:muito grata pela lembrança aos meus interesses, querida.Leio bem francês e aguardo tuas indicações.

    ResponderExcluir
  10. Cristiane, não sou vegetariana, mas gostaria de ser, quem sabe, mas em minha casa não consumimos muita
    carne, talvez uma vez por semana e carne branca, comemos peixe, ovos, atum, essas coisas, beijos amiga e
    parabéns pela sua força,

    ResponderExcluir
  11. Segundo A Gênese em 1868, “(…) à medida que o senso moral predomina, a sensibilidade se desenvolve, a necessidade da destruição diminui; termina mesmo por se extinguir e por tornar-se odiosa; então, o homem passa a ter horror ao sangue.” Linda postagem Cris, e acho importante que as pessoas passem a refletir mais seriamente sobre a possibilidade de abolirem as carnes, principalmente a vermelha. Minha caminhada foi lenta, difícil como é de se esperar para todos aqueles que apreciam um bom churrasco. Mas quando passei a entender que a carne não é necessária para a manutenção de uma vida saudável, seja ela física ou espiritual, gradativamente fui eliminando carnes, aves e hoje estou abandonando também os peixes. E, lembrando uma citação de Babajiananda: "Não é deixando de comer carnes que o ser se espiritualiza, é se espiritualizando que ele deixa de comer carnes.” Só reforça minha crença de que seja um atraso espiritual a matança e ingestão de nossos tão dóceis e indefesos "irmãos menores".
    Beijo minha querida,
    Denise – dojeitode.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Nossa Cris, que legal!!!
    Sempre senti nas suas palavras sua sensibilidade e amor pelos animais...
    Tudo sempre escrito com uma doçura só sua...
    Ler seu texto fez com que não só eu a admire ainda mais como também me fez pensar com mais carinho no assunto... Depois que somos mães, acho que nossa responsabilidade para com a vida e o universo aumentam...
    Esses dias li que nossas palavras e atitudes devem traduzir sempre a educação que queremos passar para nossos pequenos!!!!

    ResponderExcluir
  13. Cris, amei ler esse seu post, não sabia que vc era vegetariana, e para falar a verdade não sabia quase nada sobre o tema. Sei o que todo leigo sabe, e como eu não sou fã de carne vermelha nunca me preocupei muito com o assunto. Hoje vou reler esse seu post mais uma vez para guardar bem tudo isso que vc ensinou e vou procurar saber mais pois me interessou muito.
    Publica sim, as receitas e mais dicas vou estar aguardando ansiosa. Beijo grande e parabéns.

    ResponderExcluir
  14. Cri, querida,

    Adorei o seu relato e força de vontade...já estou aguardando as receitinhas.

    Eu venho há mais de 10 anos, fazendo substituições alimentares, de consumo e até entretenimento.

    Não, não é fácil...principalmente quando se tem uma família enorme e todos muito carnívoros....as festas, os encontros, tudo, tudo gira em torno das carnes...para eles é bíblico o comer carne...ai...e por ai vai...

    Há 8 meses, tive uma grata surpresa...tenho 5 sobrinhos e o caçulinha de 15 anos viu um vídeo no Face que eu curti em uma das inúmeras páginas que falam sobre o respeito aos animais....bem, ele se interessou, começou a pesquisar...pesquisar e...penalizado, inconformado com a triste realidade das granjas, abatedouros, etc, etc...deixou de comer carne e derivados...lê todas as embalagens e até mesmo se recusa a consumir alimentos com corante de joaninhas.

    Cunhada agora está pesquisando como você receitinhas saborosas que não levem nada animal.

    Também começaram a consumir produtos orgânicos e se recusam a comprar produtos com a crueldade embutida.

    Isso me deixa em estado de graça!! :)

    beijinhos, tenha uma linda semana,

    Lígia e =^.^=

    ResponderExcluir
  15. Oi, boa noite!
    Quero tanto ser vegetariana... Sofro com o sofrimento dos animais.
    Enquanto fizermos pessoas, animais, planeta sofrerem, não somos dignos de sermos seres humanos!
    Seguirei suas dicas, penso que será um começo!
    Por que não escreve um livro com suas receitas?
    Paz e luz!

    Mariângela

    ResponderExcluir
  16. Pronto! Finalmente encontrei quem pensa como eu!!! A diferença é que eu não posso comer nada com leite ... Vou seguir e ver suas receitas para ver qual delas posso adaptar na minha dieta. Ameiii seu blog e a sua página também... Bjãooo

    ResponderExcluir