17 de set de 2014

Você Passaria no Teste do Avião?


Costumo propor este teste para meus pacientes no consultório e também nos grupos, é bem interessante.

Há pessoas que estão sempre disponíveis para atender as necessidades alheias, mas colocam as suas próprias necessidades de lado. Com o tempo começam a se sentir exaustas, ou então vazias, desmotivadas, ou sentem uma raiva inexplicada.

Para elas sempre pergunto: Você já viajou de avião? Prestou atenção no que a comissária disse? 

Quando vamos viajar de avião, a comissária dá as instruções de segurança antes da decolagem e num determinado ponto ela diz: 

- Em caso de despressurização, máscaras de oxigênio cairão à sua frente, se houver uma criança ao seu lado, coloque a máscara primeiro em...

Neste momento, eu pergunto: em quem você deve colocar a máscara primeiro? Em você ou na criança?

A maioria das pessoas responde: na criança.

Não...Colocamos primeiramente a máscara em nós mesmas e depois na criança. Porque em caso de emergência, se a gente desmaiar, quem é que vai cuidar dela?

A mesma coisa na vida, temos que cuidar amorosamente de nós mesmas primeiro, para podermos estar em condições de cuidar dos outros também.

Entendeu…? 

Então me diga, você passaria no teste do avião?

Depois do teste do avião, veja se você tem a Síndrome da Mulher Maravilha, clique aqui.





14 comentários:

  1. Eu não passaria no teste, Cris. Todos os sintomas que vc coloca no primeiro parágrafo - da pessoa que coloca de lado as próprias necessidades - eu tenho experimentado. Preciso urgentemente cuidar mais de mim.
    Obrigada pelo post... e pelo teste.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. ︵‿︵♡︵‿︵
    Cris, querida,

    Adorei o seu alerta!!

    Eu precisava ler algo assim!!

    beijinhos, tenha uma ótima semana,

    Lígia e =^.^=

    ResponderExcluir
  3. Uma reflexão e tanto essa! Se não nos cuidarmos, nada adianta cuidar dos outros...Nem sempre eu passo no teste ,rs bjs, chica

    ResponderExcluir
  4. Querida amiga

    Às vezes as palavras
    se escondem em nossas vidas.
    Então,
    saímos em busca de inspiração
    nos lugares onde a amizade
    se faz preciosa,
    (lugares como este)
    pois são os amigos
    que guardam as melhores
    palavras de nossa vida,
    para nos devolver e inspirar
    quando estivermos distantes
    de nós mesmos...

    Obrigado por sua generosa amizade...

    ResponderExcluir
  5. Olá,querida Cris!
    Também confesso que muitas vezes na vida não tenho passado por este interessante teste, mas tenho a esperança de ir me conhecendo um pouco mais a cada dia, e ir aprendendo, aos pouquinhos, a cuidar melhor de mim mesma. Mas acho que quando a gente tem marido,filhos e uma grande rede de familiares, sempre fica difícil a gente se lembrar desta sábia mensagem do "teste do avião"... Na correria e no desafio do nosso cotidiano, tudo às vezes se torna uma grande confusão! (Rs...) Mas preciso e quero continuar tentando a ser melhor pra mim mesma, aprendendendo à duras penas a "acendar a minha luz interior", para que um dia eu possa ajudar a iluminar um pouquinho mais o caminho das pessoas que estão ao meu lado...
    Beijo grande e carinhoso pra ti,minha querida doutora e obrigada por você ser sempre luz na minha jornada!!!
    Teresa
    ("Se essa lua fosse minha")

    ResponderExcluir
  6. Eu não passaria no teste do avião, de jeito nenhum! Eu ia me afobar, me desesperar em ajudar meus filhos, o Marildo, ia deixar eu pro final e ia entrar pelo cano, com certeza...

    Todo dia, de madrugada, quando eu vou abrir o portão prá levar minha Naninha pro metrô, eu fico tão ansiosa, com medo de aparecer um assaltante (tem muito assalto nesse horário por estes lados - em todos os horários, aliás...) e, na minha cabeça, já tenho planejada a minha reação: atiro a chave prá minha Nana, falo prá ela entrar correndo em casa e se trancar com os irmãos, enquanto eu coro gritando em direção ao bandido, prá assustar ele com a minha reação inesperada (uma mulher frágil de meia idade correndo prá ele ao invés de correr dele) e seja o que Deus quiser... Isso porque não tenho mais pique prá fantasiar que vou dar uma voadora ninja nele - pobre de mim. Acho que esse é o meu "teste do portão"...

    Ai, tem hora que eu falo tanta besteira, não falo?...

    Beijos, Doutora querida!

    ResponderExcluir
  7. Minha querida!
    Passaria...valeu o dia! bjsssssssssss

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cristiane!
    Eu saberia como proceder porque já ouvi essa mensagem, mas já vi gente entrar em pânico com o pedido de colocação de máscaras de oxigênio; a pessoa não conseguia colocar a máscara em si ou muito menos ajudar alguém. Parece que não é somente dentro do avião que as pessoas agem como se estivessem em pânico, sem razão e até com infantilidade. Enquanto escrevia, me lembrei do pedagogo Antonio Carlos G. da Costa, um dos redatores do Estatuto da Criança e do Adolescente - em uma entrevista em que ele falava das práticas e vivências pedagógicas com valores positivos que fazem com que os jovens identifiquem e incorporem valores. Em dado momento ele usa o exemplo da situação acima e diz: "Então o Brasil hoje é uma cabine despressurizada, e se nós quiséssemos fazer alguma coisa pela criança, deveríamos começar pela família, quer dizer, colocando a máscara no adulto para que ele possa ajudar a criança. E a nossa opção histórica foi errada, esse país sempre procurou ajudar a criança para a criança ajudar a família, e não ajudar a família para a família ajudar a criança. Por isso nós tivemos tanto incentivo ao trabalho infantil".
    Precisamos repensar o pensamento!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  9. Oi Cris:
    Passaria no teste do avião, mas com dificuldade.
    Nos momentos de pânico, a razão fica de escanteio e a gente perde o prumo.
    Há que se ter equilíbrio e sabedoria pra enfrentar os desafios cotidianos.
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir
  10. Sabe Cris, este assunto tem me rodeado muito ultimamente... Acho que esta na hora de aprender de verdade, não é mesmo?
    Adorei como foi colocado.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Instintivamente, não, Cris, mas no segundo momento, poderia sim deixar a razão falar...e se não houver este tempo(?); o que vejo ser uma prática recorrente e errônea em nossa realidade através dos tempos.A criança precisa do amparo do adulto e este adulto tem de estar apto para exercer tal função.Assim deveria acontecer.

    Uma dinâmica que dá o que pensar e falar.\o/
    Bjos mil,
    Calu

    ResponderExcluir
  12. Muito bom!!! No do avião sim, mas no dia a dia, hihi...

    ResponderExcluir
  13. Querida amiga,
    somente hoje voltei a visitar os blogs amigos e é sempre uma alegria vir aqui!
    Passei no teste do avião, mas acho que é por já ter decorado as falas das aeromoças - kkkkkk!
    Realmente precisamos nos amar e cuidar primeiro de nôs mesmos, para depois conseguirmos fazer o mesmo pelo nosso próximo!
    Excelente post, estava com saudades.
    Beijo grande
    Léia

    ResponderExcluir
  14. Dra. Cristiane Marino estou exatamente como você descreve em toda essa mensagem, me vi em toda essa situação citada e nesse momento estou assim desmotivada, desanimada, pois quando sempre tenho que ser essa coluna forte de todo mundo e quando preciso não tenho onde me encostar, me apoiar. agradeço sua mensagem vou refletir nisso tudo que foi dito, más confesso que fico meio perdida, sei onde esta o problema más não sei como resolver, quero e preciso mudar esse meu jeito.

    ResponderExcluir