15 de jun de 2015

A Arte de Ser Feliz


 Compartilho com vocês este maravilhoso poema de Cecília Meireles enviado pela querida Raphaela, nossa companheira do Grupo Travessia Para Avalon, traduz exatamente o espírito do próximo encontro.

Houve um tempo em que minha janela se abria
sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.
Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,
e o jardim parecia morto.

Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde,
e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, 
para que o jardim não morresse.
E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água 
que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.

Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.
Outras vezes encontro nuvens espessas.
Avisto crianças que vão para a escola.
Pardais que pulam pelo muro.
Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.
Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar.
Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega.
Ás vezes, um galo canta.
Às vezes, um avião passa.

Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.
E eu me sinto completamente feliz.
Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas,
que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem,
outros que só existem diante das minhas janelas, e outros,
finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.


Uma ótima semana para todas!




15 comentários:

  1. É preciso aprender a olhar
    É preciso saber viver

    ResponderExcluir
  2. Poema lindo demais! Bela partilha! bjs, ótima semana!chica

    ResponderExcluir
  3. Que lindos versos, adoro ver a Vida assim, sempre vejo o lado belo de tudo, pois se há as duas formas de olhar, prefiro a que me faz me sentir leve e feliz!
    Amei ler amiga Dra. Cristiane!
    Tenhas uma linda semana e deixo abraços apertados!

    ResponderExcluir
  4. Cristiane, amo essa poesia de Cecília Meirelles, já as declamei várias vezes. sempre muita emoção.bjs

    ResponderExcluir
  5. Amo Cecília Meireles... Que olhos prá ver a vida, que sensibilidade... Amo.

    Beijos, Doutora querida!

    ResponderExcluir
  6. Oi Dra. Cristiane!
    Amo Cecilia Meireles e tenho um carinho especial por essa poesia, pois poesia me fascina.
    Sempre pensava, que o dia que me fosse permitido recitar uma poesia para alguém ouvir, seria essa a poesia, e assim fiz! Participei de um projeto (não durou muito) aqui na minha cidade, a gente lia poesia na hora do almoço, em algumas empresas que possuem refeitório.
    Feliz semana!
    Beijo carinhoso!

    ResponderExcluir
  7. Excelente semana! Tão importante olhar para o lado de fora da janela e observar tudo isso... da minha janela só dá pra ver prédios :(
    Um beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi Cris,
    O poema é lindo! Não conhecia, mas deixou o meu coração morninho.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Li esse poema pela primeira vez, quando cursava o ginásio. Me apaixonei... é o meu poema preferido amiga.
    São versos lindos e verdadeiros! Aprender a olhar, e ver as pequenas coisas que a vida nos apresenta diariamente, pequenas felicidades... é lindo demais!
    Adorei reler amiga!
    Feliz semana Cris, bjus!

    ResponderExcluir
  10. Que partilha linda! Eu não conhecia esses poema e é realmente encantador!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. Olá Cristiane,

    Lindo poema, e tenha uma linda semana também!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Cristiane!
    Quis ficar aqui olhando pela sua janela e reli o texto algumas vezes. Quanta delicadeza nessa postagem!!
    :)
    Beijus,

    ResponderExcluir
  13. Um guia para a vida. Da minha poeta predileta. Sempre bom reler. Grata por compartilhar.

    Paz e Luz

    ResponderExcluir
  14. Como sempre nos presenteando , Cristiane . Obrigada . Beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá,querida Cris!
    Cá estou eu, amiga, de volta, após um breve período de ausência virtual. Mas tudo foi por um lindo motivo, pois estive distante aqui da nossa terrinha, visitando uma região admirável, quase no extremo norte do nosso planeta. Em parte pra ver de perto aquela indomável natureza, e de outra parte, em busca de um novo horizonte para os meus sonhos. Acho que, às vezes, ficar um pouco distante do nosso mundo "real" e virtual, nos traz sempre mais pertinho da realidade que ainda existe bonita e mágica, ao alcance de cada janela. Por isso, hoje, ao ler este belíssimo texto da querida poetisa, fiquei mesmo refletindo sobre o valor das belezas miúdas, dos momentos alegres e simples que desfilam todos os dias diante dos olhos da gente...A vida sempre nos mostrando algo bom de sua milagrosa experiência! E quantas e quantas vezes passamos voando por tantas delicadezas, sem nem mesmo reconhecê-las? Pois é, na correria do cotidiano, tudo é tão fragmentado e rápido, que muitas vezes nem vemos a "janela", e quanto mais a paisagem que se estende além dela...Coisas desse nosso mundo "ocidental" e apressado, como diria um amigo nosso... Mas seja como for, sempre nos resta a esperança, de que um dia a gente possa realmente enxergar as várias "janelas" que a vida nos oferece, e quem sabe, num certo momento, a alegria das coisas mais simples nos surpreenda, e nos traga de volta a alegria contagiante da criança que se esconde dentro de cada um de nós...
    Achei lindo demais este post... Você sempre nos brindando com suaves pétalas de sabedoria...Uma alegria preciosa estar aqui de novo!!! Muito obrigada,amiga querida!!!
    Meu abraço carinhoso no teu coração valoroso!!!
    Teresa
    ("Se essa lua fosse minha")

    ResponderExcluir