26 de mai de 2016

Correndo Com Lobos - O Barba Azul - Identificando O Meu Predador - Parte 2

Pintura de Magdalena Korseniewska

Como vimos no post anterior (aqui), os aspectos sombrios de nossa alma podem ter um aspecto assustador, mas se devidamente reconhecidos e cuidados perdem sua força destrutiva.

Como reconhecer o "Barba Azul" dentro de nós?

Ou seja, como perceber que esse aspecto destrutivo está ativo?

1 - Quando somos cruéis conosco.
Sempre que exigimos demais de nosso corpo e mente e não atendemos nossas necessidades físicas, emocionais e espirituais.

Cuidado! O predador está rondando.

Submeter seu corpo, mente e alma a desconfortos desnecessários é fazer acordo com o predador. Lembre-se: com ele não se negocia!

2 - Quando desqualificamos nossos sonhos e ideais.
 Diante de um sonho ou um novo projeto no qual podemos trazer nossos dons para o mundo, uma voz interior nos diz alguma dessas frases:
 "Ah...isso não é para você..." 
 "É muita areia para o seu caminhão."
 "Você não vai conseguir, é melhor nem tentar."

Cuidado! Essa é a voz do predador.

3 - Quando desvalorizamos nossas conquistas e realizações.
Por exemplo, quando fazemos um trabalho bem feito ou produzimos algo belo que as pessoas elogiam, não acreditamos que o que fizemos tem realmente valor e dizemos para nós mesmas: "Ah...não é tudo isso.." ou então "Não é nada de mais,  qualquer pessoa faria melhor..."

Cuidado! Essa é a voz do predador.

4 - Preguiça, Inércia e Marasmo
Mesmo sabendo o que precisamos fazer para realizar um sonho, não conseguimos nos mover e agir. E  tudo parece estar num marasmo...

Cuidado! A energia criativa está sendo sugada pelo predador. Então nestes casos, a ação deve vir antes da motivação. Não faça acordos com seu predador.

5 - Dispersão
A energia do predador causa cisão interna, com dispersão da energia psíquica. Isso resulta em falta de foco, tentar fazer várias tarefas ao mesmo tempo, inclusive com falta de atenção que nos torna propensas a acidentes. 

Cuidado! Ao perceber esta característica, respiração é fundamental para centramento. 

Lembre-se: Menos é mais. Fazer menos coisas com mais qualidade e presença. 

5 - Adiamento de tarefas importantes para a alma.
Ficamos adiando fazer algo que gostamos muito, que nos dá imenso prazer e nos alimenta a alma como por exemplo: dançar, cantar, pintar, fazer artesanato, brincar, tomar sol, passar um tempo na natureza, ficar em silêncio, escrever, ler, meditar....

E nos damos as desculpas esfarrapadas: "Não tenho talento", "Não tenho idéias"...e a pior de todas: "Não tenho tempo".

Vamos  colocando todas as "obrigações" sempre na frente e adiando fazer o que realmente importa para quando a caixa de entrada estiver vazia, só que ela nunca vai esvaziar...

6 - Esgotamento
Quando essas energias conflitantes entram em estado de saturação a mulher sente um cansaço incrível, pois sua energia psíquica está sendo sugada.
Esse é um momento crítico e se cedermos a esse cansaço e não compreendermos a mensagem de que algo está muito errado, as conseqüências podem ser graves.
Ao chegar neste ponto, a mulher precisará de ajuda profissional para sair da situação. Nesta situação é arriscado querer enfrentá-lo sozinha.
Recusar ajuda é aliar-se ao predador.

E agora que já identificamos esses aspectos dentro de nós mesmas, o que fazer?

Veremos na terceira parte deste post (aqui).


Se perdeu a primeira parte, clique aqui.





15 comentários:

  1. Que esclarecedor e ótimo texto.Gostei e temos que estar de olhos abertos... beijos, lindo feriado! chica

    ResponderExcluir
  2. Belíssima essa pintura!
    E que interessante essa vivência. Quantas "coisas" vamos deixando de fazer ou fazendo de um jeito errado o que só traz prejuízos para nosso corpo e alma.
    Tomar consciência desses processos é um caminho para a mudança.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Cris, amiga querida, eu confesso a você que já li e reli esse conto muitas vezes, mas a sua leitura tão pontual, tão assertiva, me deixou encantada e , como nada é por acaso, eu precisava muito desse conteúdo hoje, pois andei dando muito pode ao meu predador interno nesses últimos dois meses, mas já (re)empoderei a minha alma (ufa) e estou aqui, lendo, ouvindo as nove badaladas do sino de uma igreja próxima e pronta para ir olhar o mar...Muito grata por compartilhar essa sabedoria incrível com a qual nos presenteia sempre. Bjs de sua amiga do coração!

    ResponderExcluir
  4. Cris,
    Esse predador se não tomarmos cuidado e o alimentarmos toma forças incríveis não?!
    Um beijo e um bom feriado

    ResponderExcluir
  5. Sempre me assusto com o poder deste predador...
    E como ele é ardiloso, não?

    ResponderExcluir
  6. Cris...

    Wanice permita "plagiar"..."andei dando muito poder ao meu predador interno nesses últimos dois meses"

    Eu, infelizmente, dei poderes a ele por décadas mas nunca é tarde, sempre é tempo!
    Fé, força e coragem!

    gratidão a Cris e a quem comenta trazendo outro "olhar" para cada processo.
    bjs. Rosangela Almeida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ro, nunca é tarde mesmo!!!
      Vamos em frente!
      Saudades....
      Bjs

      Excluir
    2. Cris, é, vamos encarar...

      Obrigada pela força de sempre.

      Esse segundo momento da matilha está "remexendo" , reverberando e soltando "cascas"...

      saudades tb.
      gratidão. bjs Ro

      Excluir
  7. Como sempre, muito objetivo o seu texto. Com facilidade, me identifiquei por completo.
    Agradeço pela oportunidade, pela reflexão.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristiane, boa noite!
      Agradeço pela visita e comentário no meu blog. Deixei resposta por lá. Começo dizendo que assisti a tua sugestão de filme: Não olhe para trás. Um estímulo a mudança de hábitos, a refletir a vida, acertar conflitos, com leveza e perseverança. Quando se decide ser feliz, assumindo o leme da vida, parece que tudo conspira a favor.
      E já que gostas de pratos vegetarianos, há um que faço e gosto muito, tanto pelo sabor, quanto pela apresentação. Acesse e se gostares dos ingredientes, é uma felicidade de sabores - http://farelascarpetta-mariagloriadamico.blogspot.com.br/2015/02/sformato-di-verdure-al-forno-lasagna-de.html
      Deixo aqui beijinhos e o desejo de uma ótima semana.

      Excluir
  8. Olá, me identifiquei no seu texto. Sou estudante de Psicologia e vi que terei muito aprendizado em seu blog. Abs

    ResponderExcluir
  9. Olá, Cristiane,
    Importantes postagens, com temas que mexem connosco. A mim custa admitir esse "Barba Azul", predador alimentado pela minha permissão que exista. Como bem diz, em resposta num comentário, "nunca é tarde", haja a força para fazer luta ;)

    bjn amg

    ResponderExcluir
  10. Oi Cristiane!
    Me identifiquei com o item 6, andei vivenciando algumas situações que me deixaram um tanto esgotada, embora no meu caso eu saiba exatamente onde e como o predador está agindo. Só me resta aprender a ser mais firme e não abrir a porta pra ele entrar.
    Um abraço.
    Com carinho,
    Sônia

    ResponderExcluir
  11. Oi Cris!Muito interessante este tema,tanto que fui ler a primeira parte e voltei. Me identifiquei principalmente com o item 3,que é desvalorizar conquistas e realizações,já fiz muito isso,embora hoje em dia eu esteja bem melhor,já valorizo o que consigo fazer e conquistar.Um abraço!

    ResponderExcluir
  12. Oi Cris,
    Padeço do 1 e do 2. Acho que meu Barba Azul tem uma barba bem grande, e bem azul.
    Bjs

    ResponderExcluir