8 de mai de 2017

O Que Acontece Quando Nos Desconectamos de Nosso Corpo?

Pintura corporal do artista John Poppleton

Uma das queixas mais comuns nos consultórios hoje em dia é sobre não aceitar seu próprio corpo. A propaganda excessiva de corpos esculturais e jovens gera um desconforto na maioria das mulheres.

No momento em que começamos a nos julgar e a nos comparar, caímos numa armadilha e não estamos mais presentes em nosso corpo. Quais são as consequências disso?

John Poppleton

1 - Nos desconectamos da nossa sabedoria interna
Como podemos ouvir nosso interior se estamos diariamente nos criticando, dizendo como nosso corpo está errado?
Como nos conectar com  as sensações do nosso útero se estivermos usando uma cinta tão apertada que nem podemos respirar?

2 - Criamos uma competição nociva
Quando julgamos nosso corpo com base em padrões nós perdemos a habilidade de honrar a beleza de cada expressão única do feminino.
Assim como nos julgamos, começamos a buscar "defeitos" em outras mulheres para que nos sintamos melhor. Isso prejudica os relacionamentos com outras mulheres e com o feminino em nós.

3 - Limitamos nosso senso estético
Julgando a nós mesmas e às outras mulheres unicamente com base na aparência e adequação a padrões, limitamos nossa experiência de beleza, que é multidimensional.
Desta forma estamos ignorando que a beleza externa e a interna devem andar juntas.

4 - Perdemos nosso saudável senso de limite
Quando objetivamos nossos corpos, perdemos a confiança em nós mesmas e isso prejudica nossa intuição.
Quando uma pessoa tem uma atitude invasiva, geralmente sentimos um desconforto físico, talvez uma tensão no abdome ou outra sensação física, avisando que algo está errado e nos permite estabelecer limites.
Se não estivermos presentes em nossos corpos, não iremos registrar esses sinais e podemos ser invadidas, ou nos colocarmos em situações de risco, ou ficarmos em relacionamentos abusivos.

Você imaginava que o relacionamento com nosso corpo teria tantas consequências?

John Poppleton

Sinta seu corpo agora, respire profundamente, perceba seu coração batendo lealmente, suas células trabalhando pelo seu bem estar. Mesmo que esteja doente, seu corpo está fazendo o melhor que pode para se curar.

Ele muda de acordo com as estações do ano e os ciclos da lua...

Sinta o milagre que você é, agradeça e nutra-se com amor.



11 comentários:

  1. Puxa, quanta coisa essa desconexão pode fazer. Gostei muito! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Olá.

    Acho que relacionar bem com o nosso corpo ao longo dos anos, é um aprendizado, muitas vezes fruto do amadurecimento. Quando jovens, se somos bonitas, nossa tendência é nos amarmos e possuir uma boa alta estima, no entanto se existe algo que nos causa desconforto, podemos ser mais críticos.

    Reconheço a importância de nos voltarmos para dentro, para uma aceitação irrestrita e um amar sincero, apesar de... Procuro ouvir a minha mente, sondo o meu coração e estou sempre alinhando meus pensamentos e sentimentos. Encontrei um caminho muito excelente e estou em estado de graça comigo e com todos e quando falho, ouço uma voz gentil me dando um toque, peço perdão e realinho o pensamento.

    Muito bom o seu texto.

    Felicidades mil. Sorria sempre.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Cristiane!
    Seus textos são para mim, um alimento para a alma!
    Hoje cedo na academia conversava com uma amiga sobre nutrição, falei para ela que nos últimos tempos tenho prestado muita atenção no meu "eu". Ex: quando estou com fome, presto atenção no que estou com vontade de comer e como de tudo um pouco, graças a Deus, não tenho restrição a nada.Também não sou obcecada com aparência,não é que não me cuide, ao contrario, me cuido muito! presto muita atenção em mim!!!
    Beijo carinhoso, feliz semana!
    Obrigado pelo "alimento"!!!!

    ResponderExcluir
  4. cris,
    namastê!!
    Assim que abri o post fui "inundada de prazer" pela arte de Jonh Poppleton... são belissímas!
    parabéns, iluminada semana e até sexta
    bjs Ro.

    ResponderExcluir
  5. Oi, amada amiga Cris!Imagens perfeitas e muita sabedoria no conteúdo. Particularmente, me liguei muito na consequência número 4. É preciso estar atenta e forte! Saudade, abraço apertado e beijo no coração.

    ResponderExcluir
  6. Cris, estamos vivendo uma discrepância: ganhamos muitos anos de vida e não nos aceitamos.
    Há não muito tempo, a expectativa de vida era de 50 anos, hoje chegamos fácil aos 80. Mas de que adianta, se não vamos, não estamos nos aceitando.
    Excelente a reflexão que seu texto nos traz.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Oi Cris,
    Texto fantástico! Vivo brigando com meu corpo. O que há de mau nisto? Não me sinto bem com qualquer roupa e me limito em várias situações. O que há de bom nisto? Qdo o CA apareceu foi só mais uma briga com o meu corpo, e desta vez eu ganhei. Tudo tem o seu lado bom, não é mesmo?
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Maravilhoso como sempre Cris <3
    E viva nosso lindo e abençoado corpo!
    Muitas bênçãos pra vc.
    Beijinhos no coração.

    Flores e Luz.

    ResponderExcluir
  9. Olá Cristiane,

    Que texto bom, a tirania da estética perfeita e dentro dos padrões comerciais é causas de tantos problemas atuais que surpreende. Estou com 60 anos, portando estou no período que se chama velhice, chamar de "a melhor idade", "terceira idade" ou ainda "dos mais vividos", não altera o estado físico só cria uma imposição de que devemos ser jovem e estar bem sempre. Não quero dizer que não devemos cuidar da saúde, do corpo e da mente, podemos fazer isso e viver todos os períodos da vida, inclusive a velhice muito bem.

    Beijos e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  10. Cristiane , seu texto é elucidativo e nos faz refletir como devemos passar longe da tirania do corpo perfeito , conforme, as normas do momento . Gostei bastante . Você sempre nos ensinando com seu olhar repleto de sensibilidade . Aproveito para lhe desejar um abençoado dia das Mães . Beijos

    ResponderExcluir
  11. Este é um tema super atual, que está em alta no nosso país, onde há uma excessiva preocupação com a imagem. Para ler e refletir.

    ResponderExcluir