25 de out de 2015

A Senhora dos Dez Mil Nomes - Terceiro Encontro - Deusa Kuan Yin - Descobrindo a Imensidão do Espaço Interior - Parte 1

Kuan Yin - Imagem: Pinterest

Quando falamos na Deusa Kuan Yin, a maioria das pessoas pensa numa senhora plácida, sentada sobre uma flor de lotus e que simboliza a compaixão.

Mas ela foi uma jovem corajosa que desafiou as convenções patriarcais da sua época. Ela representa a imensidão do espaço interior, todas as suas qualidades derivam disso.

Quando você fecha os olhos e olha para dentro, como é seu espaço interior? Amplo ou apertado? Claro ou escuro? Tem uma paisagem ou é sem imagens? Opressivo ou confortável? Observe em si mesma, pois vai ser importante para você acompanhar a segunda parte deste post.

Assim como o Buda Sakyamuni foi um dia o príncipe Sidarta Gautama, que viveu na Índia e abandonou tudo para buscar o sentido da vida, Kuan Yin foi a princesa Miao Shan, que viveu onde hoje se localiza o Tibet. Ela era a filha caçula de um Rei poderoso que não tinha filhos homens para sucedê-lo, apenas três filhas. 

Miao Shan é cultuada até hoje na China e Tibet como símbolo de integridade, amor e pureza. 
Ela também cavalga um tigre...lembra de Durga? Não é mera coincidência...
Se quiser rever Durga, clique aqui.

Miao Shan era diferente de todas, desde pequenina não queria brinquedos caros, jóias, nem roupas luxuosas, usava todos os seus recursos para ajudar os necessitados, cuidar dos doentes e proteger os animais. Era considerada excêntrica pela família.

Ao entrar na adolescência, o pai a chama e diz que está na hora de casar-se com um príncipe que ele vai escolher. Ela implora para que não a obrigue a casar-se, quer dedicar sua vida para cuidar dos necessitados. Suas irmãs mais velhas já se casaram e o rei em breve teria netos.

O rei fica furioso e tenta de tudo para obrigá-la, mas ela permanece irredutível. Ele lhe causa inúmeros sofrimentos, mas ela continua querendo ser monja. Então por sua desobediência, ele decide mandar seus soldados matá-la. E no momento derradeiro, um enorme tigre surge e a leva para o reino dos Deuses.

Miao Shan pede para a Deusa dos Céus que a deixe ficar próxima da Terra para continuar ajudando os necessitados e Ela lhe concede esse desejo mudando seu nome para Kuan Yin, que significa: aquela que ouve os lamentos do mundo.

E o primeiro necessitado que ela ajudou foi justamente seu pai...que ao perceber que aquela Deusa tinha sido sua filha arrependeu-se profundamente, tornou-se monge e passou a usar toda sua riqueza para ajudar o próximo.

Linda história, não é? 

Como este post já está longo, vou deixar para o próximo as reflexões que este tema despertou e as práticas que realizamos.

Até breve!


18 comentários:

  1. Oi, Dra. Cristiane!
    Lindo e emocionante! Intensamente lúdico!
    Beijo carinhoso e feliz semana!

    ResponderExcluir
  2. Lindo post Cris! Já conhecia a história, mas é sempre bom ouvi-lá novamente, ainda mais com estas lindas imagens. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi, Dra. Cristiane!
    Sinto-me honrada e muito feliz com sua atenção carinhosa!
    Compartilhar aqui, será um privilégio!
    Obrigado! Beijo carinhoso!

    ResponderExcluir
  4. Lindo e nos faz refletir sobre os verdadeiros valores!
    Amei ler amiga Dra Cristiane!
    Beijos e uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  5. Sou eterna apaixonada por contos e fábulas desta natureza vibrante em valores e aprendizados.As muitas faces femininas refletidas nas deusas que nos traduzem, desvendam para nós mesmas muito do que ignoramos.
    Fecharei agora os olhos e vasculharei meu espaço interior.A princípio, antevejo-o acanhado.

    Grata por mais este conhecimento, Cris.
    Bjos e linda semana,
    Calu

    ResponderExcluir
  6. Linda a história, boa semana, beijo amiga

    ResponderExcluir
  7. Cris,
    Sabe que esse post me lembrou uma coisa,em alguns dias quando pratico minha meditação, consigo perceber esse espaço interior. É engraçado porque muitas vezes vem uma ansiedade enorme, e em outros dias uma paz. Isso traz a mensagem de como devemos nos olhar com carinho, nos acolher, porque somos tão dual, não é mesmo? Um beijo e boa semana.

    ResponderExcluir
  8. Cristiane , gostei bastante e fico aguardando a publicação das reflexões e práticas sobre o tema . Beijos e boa semana .

    ResponderExcluir
  9. Oi Cris,
    A história é linda! E que imagens maravilhosas!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Realmente é linda a história, me fez pensar na importância de respeitar o talento e desejo do outro.
    Um abraço e ótima semana!
    Sônia.

    ResponderExcluir
  11. Que história linda, que fala de amor próprio e perdão! Quem se ama não se dobra a ser mais ninguém a não ser si mesmo, como ela... Adorei principalmente o desfecho, ela ajudando o pai - foi inspirador. Quando ao meu interior é infinito, escuro - mas de um jeito reconfortante - , com lampejos de luz que eu persigo com os olhos, mas nunca alcanço...

    Beijos, Doutora querida!

    ResponderExcluir
  12. Olá Cristiane,

    É a deusa que tenho grande afinidade e muita fé, tenho uma historia pessoal que ainda me emociona quando lembro, sua historia é linda e comovente,
    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Muito linda eu não conhecia essa historia de Kuan Yin.
    Eu já havia ouvido falar mas como uma mestre no trabalho com curas.
    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Cris, tenho uma imagem da Kwan Yin ao lado da minha cama. Recorro a ela sempre. Roguei por sua presença em meu parto. Ouça essa música: https://www.youtube.com/watch?v=t7TA6pWl-Ho.
    Beijos e muita paz!

    ResponderExcluir
  15. Cris, um texto cor de rosa, no padrão do amor sublime e elevado irradiado por Kwan Yin. E a sincronicidade? Assim como a Carol Costa eu também tenho uma Kwan Yin ao lado da minha cama e acabei de acender um incenso como oferenda, vim para cá e me deparei com o seu post. Estamos no caminho certo, certamente essa é a mensagem. Bjs e muita Luz

    ResponderExcluir
  16. Obrigada por compartilhar esta linda história.

    ResponderExcluir
  17. Olá, doutora

    Cheguei no seu blog através do blog da Rosa na Janela.
    Passei a ser uma das suas seguidoras pois o que li de suas postagens já me interessou muito.

    Agradeço por compartilhar tantas informações úteis, positivas e enriquecedoras.

    Bjs
    Fatinha

    ResponderExcluir
  18. Querida Cristiane, boa tarde!
    Não conhecia essa história e achei linda e profunda.
    Vou agora mesmo ler a continuação do teu post.
    Um grande abraço e tenha um excelente final de semana.
    Léia

    ResponderExcluir