21 de mai de 2018

O que é Curar-se?



“Não se queira curar a parte sem tratar o todo. 
Não se queira curar o corpo sem tratar também a alma…
este é o erro dos nossos dias, 
os médicos separarem a alma do corpo.”

Platão
Filósofo Grego
427-347 a.C.

Em português, associamos a palavra Curar a recuperar a saúde, mas ela também significa secar ou defumar um alimento (curar um queijo, por exemplo). Mostrando que a  cura é um processo, e tem relação com o tempo e o amadurecimento.

A palavra inglesa heal (curar) deriva do termo anglo-saxão halque significava “todo”, mas também “saudável” e “sagrado”. Isto já nos dá uma idéia da relação entre saúde e totalidade.

Se corpo, mente e espírito estiverem dissociados, não é possível haver cura completa. Uma alma doente manifestará seu desassossego na forma de sintomas físicos.

Os pensamentos e sentimentos que alimentamos em relação ao mundo e a nós mesmos são a principal causa  do sofrimento.

As doenças geralmente são mensagens que recebemos, dizendo que estamos em desarmonia, que algo precisa ser mudado. Quando entendemos o recado, a doença vai embora. 

É como diz uma médica oncologista que admiro muito:  “ A doença é um grito que a vida dá para avisar que estamos indo pelo caminho errado. A intensidade do grito será proporcional  ao grau de surdez da pessoa." 

Enquanto ficarmos “brigando com a vida”, nada acontece. Somente quando ocorre aceitação pode haver transformação.

A Cura pode ser vista também como um processo iniciático, pois no final não somos mais as mesmas, fomos transformadas, e invariavelmente descobrimos em nós uma força que desconhecíamos.

Então, curar-se é voltar a ligar-se com a alma. Na essência da cura há amor e compaixão. 

Como disse Sakyamuni Buda: “Da doença surge a mente que busca O Caminho.”

Pense nisso…e cuide do que precisa ser Curado em sua vida com delicadeza e amor.



10 comentários:

  1. Bela reflexão e chegou bem... Tenho a mania de não ouvir os recados do corpo,rs... Ótima semana! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Querida Cris, incrível a ressonância que baixa entre nós de vez em quando. Delicia de post. Belo e útil, na vibe dos nossos queridos gregos. Amo vc! Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post! Pois me trouxe a lembrança da medicina de Asclepio, na antiguidade grega. E viva Epidauro, local sagrado de cura, anterior a Hipocrates, onde só se entendia a cura quando a abordagem era da totalidade da pessoa, cuidando do sono, por conta da sabedoria advinha dos sonhos, da alimentação, dos exercícios físicos, da boa leitura, do teatro, da música etc. A nooterapia que só curava com a metanoia, a transformação dos sentimentos e da mente!

    ResponderExcluir
  4. Olá Cristiane,
    Uma delicadeza este post com um ótimo tema. Ficar atento ao corpo e também à alma, afinal viver bem é viver de corpo e alma.
    Beijinhos e boa semana.

    ResponderExcluir
  5. Oi Cris,
    Amei o texto e acreditomuito nisso. Qdo estive doente, meu oncologista teve o cuidado de me encaminhar para uma onco terapeuta e isso facilitou muito a minha cura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Sábias palavras , Cristiane .
    Obrigada . Adorei .
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Meus médicos insistem em dizer que estou "compensada clinicamente"... meus últimos exames nem mesmo apontaram a doença (SAF)... entretanto, gosto de pensar que "entendi o recado" e que a doença foi embora. Muito bom o texto! Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cristiane!
    Que lindo post, nem sempre conseguimos manter a harmonia necessária entre corpo, mente e espírito. Mas caminhamos tentando, rs.

    ResponderExcluir
  9. Gostei imensamente desta postagem, Cris! Especialmente das palavras da médica oncologista que você admira.
    Sinto também, uma visão budista neste texto.

    ResponderExcluir