28 de jun de 2015

Travessia Para Avalon - Reverdecimento do Ermo - Quarto Encontro


Monte do Thor, local da mítica ilha de Avalon, com o vale de Glastonbury no fundo.

Este encontro de fechamento foi muito emocionante, como todo este ciclo. O momento de juntar as pecinhas deste imenso quebra-cabeças. A hora da síntese e da troca de experiências.

Em uma das paredes do salão fiz um painel com uma retrospectiva fotográfica das nossas vivências e as frases mais marcantes de cada encontro deste ciclo. Vocês poderão ver as fotos aqui

Iniciamos compartilhando as experiências de intensa energia amorosa que sentimos no encontro anterior quando fizemos uma vivência baseada na imagem do cálice como símbolo do coração e da verdade que cura (para rever clique aqui).

Na Roda de Conversas, além de compartilharmos nossas impressões, pudemos fazer a ligação entre as trajetórias de Morgana e Persival. Ambos, em sua vaidade, estavam desconectados das qualidades do feminino, o que os fez cair no ermo.

Em nossas vidas, quando nos desconectamos das qualidades fundamentais do feminino, também experimentamos a aridez. A vida fica sem cores e pode até sobrevir uma depressão.

Uma das casinhas da Ecovila de Findhorn

Nestes capítulos finais do livro, Jean reflete sobre a sua própria crise pessoal. Sobre o fato dessa viagem ter surgido num período difícil de sua vida.

Nesta parte da viagem, ela estava visitando a Ecovila de Findhorn na Escócia, e ficou maravilhada com o verde e as flores que desabrochavam em meio a uma área de solo arenoso, que alguns anos antes era um grande ermo desértico. E hoje produz até legumes gigantes!

Diante deste milagre, ela se lembra do poder curador do cálice do Graal na lenda de Persival e da sabedoria de "Viriditas" (poder verdejador) de Santa Hildegarda.

Ela se pergunta:

Como podemos evitar cair no ermo?

Se estivermos nele, como fazê-lo reverdecer?

De que forma a Lenda do Graal e o Poder de Viriditas podem ser úteis a nós que vivemos no século XXI?

Vocês verão as respostas na segunda parte deste post.
Aguardem...



8 comentários:

  1. Olá Cristiane, venho desejar boa semana e deixar beijos.

    ResponderExcluir
  2. Oi Dra. Cristiane!
    Tudo é tão puro e verdadeiro que posso até sentir!
    Um beijo carinhoso a todas do grupo!
    Feliz semana!

    ResponderExcluir
  3. Oi Cris,
    É claro que a xereta aqui foi ver as fotos... é claro que tentei saber qual delas era vc. Tenho uma curiosidade imensa de ver o seu rosto, a mesma que tinha quanto a Liduh, do "Algo Mais". Bem, não consegui saber qual delas nas fotos é vc...
    Achei os trabalhos lindos e muito interessantes!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Que lugar esplendido! Isso é um lugar para a prática terapêutica?

    beijos, Fernanda
    www.sonhareplanejar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Quero ver essa continuação, Doutora querida.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Cris,
    Essa casinha aí é cheia de amor né. Hahahaha, Cris eu bem que pensei que você tivesse imaginado que o texto era meu, hahaha. Quisera eu escrever tão bem quanto a Ana Jácomo. Agora quanto ao consolo são sempre bem vindos, certos momentos da vida deixamos mesmo as pessoas roubarem o nosso lápis de cor.
    Um beijo querida, uma semana de levezas para você,

    ResponderExcluir
  7. Que lugar maravilhoso!! adoro a Escócia e é um desejo meu conhecer esse país algum dia.

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Minha querida!
    Obrigada por este chamamento, maravilhosa postagem e me sinto nele, mesmo longe de vocês. A Escócia e seus encantos e sabedorias me fascinam, nunca fui , mas de vez em quando recebo algo de lá. Belíssimo trabalho e mais uma vez obrigada!

    ResponderExcluir