6 de nov de 2017

Grupo Mito e Psique - Suméria -Deusas Inana e Ereshkigal - Final

Ao voltar, a primeira pessoa que ela encontra é Ninshubur, sua fiel sacerdotiza, que lutou para salvá-la. Os soldados querem levá-la, mas Inana os impede. Não pode enviá-la ao submundo, tem um débito de gratidão com ela.

Seguem para seu castelo e ao chegar, ao invés de encontrar luto por sua morte,  há uma festa. Dumuzi sentado em seu trono cercado de belas dançarinas. Que traição! Ela manda que os soldados o levem para o submundo.

A irmã de Dumuzi, Geshtinana (a Deusa do Vinho) fica transtornada com o destino do irmão e pede à Deusa que possa revezar com ele no submundo. Ela concorda. Cada um deles passa metade do ano na superfície e outra metade no mundo dos mortos.

Quando corre a notícia do retorno de Inana, acontecem celebrações em todos os templos para Aquela que por amor aos seres humanos, escolheu viver na terra e quis conhecer o destino dos homens, desceu à Mansão dos Mortos e ressuscitou no terceiro dia (essa frase do poema original foi depois copiada pelo cristianismo como parte da oração do Credo).

Ela recebeu o título de Redentora da Humanidade. Pois trouxe um sentido para a morte no ciclo da vida e mostrou que o amor nos conecta com a eternidade e de forma simbólica nos possibilita transcender a finitude.

Ficou durante quarenta dias na terra orientando seus devotos e depois ascendeu aos Céus, mas estava sempre atenta aos seres humanos e suas súplicas.

Ereshkigal estava presa no Submundo, mas encontrou uma redenção através de sua filha Lilith, que era livre para transitar entre os mundos e visitar o Reino dos Deuses. Como Lilith era belíssima e amorosa, era cortejada por todos. Acabou casando-se com Enki, o Deus das águas doces, e teve duas filhas. Duas Deusas muito belas, corajosas e fortes, cada uma delas casou-se com um filho de Eva* e deram origem aos Sumérios e à linhagem dos Reis da Suméria.

*A lenda de Adão e Eva teve origem com os Sumérios. Para eles, Eva foi feita de barro pelo Deus dos Céus e colocada no ventre da Deusa da Terra para que ganhasse vida. Eles quiseram dar-lhe um companheiro, então depois Adão foi criado da mesma forma. Eles eram humanos, feitos do barro, mas filhos dos Deuses. Na história original, Eva foi criada primeiro! Só depois de muitos séculos outros povos inventaram a história da tal costela de Adão...

Dessa forma, os Sumérios acreditavam ter origem divina através do casamento das netas de Ereshkigal (filhas de Lilith)  com os filhos de Eva, consideradas suas ancestrais. Em seus templos, eles cultuavam Lilith, como Deusa da Beleza e do Amor e também Inana por seu Cuidado, Proteção e Fertilidade.

Depois de milênios, surgiram as religiões monoteístas que combatiam o culto à essas Deusas e criaram outras histórias sobre elas para denegrir sua imagem. 

Lindo esse mito, não é? 
Tem muitos significados simbólicos e psicológicos importantes para nosso desenvolvimento.
Você consegue decifrar algum? 

Se perdeu a primeira parte, clique aqui. A segunda parte (aqui).



4 comentários:

  1. Muito lindo mesmo esse mito.Sempre legal te ler! beijos,tudo de bom,ótima semana! chica

    ResponderExcluir
  2. Muito belo e profundo e mais uma vez tem o dedo dos homens para mudar de lugar o poder que é; da força e do amor de uma mulher.

    ResponderExcluir
  3. Oi Cris,
    Adorei a história. Fico encantada ao ver como os mito e as religiões se cruzam!
    Bjs

    ResponderExcluir