14 de out de 2019

Se Não Puder Fazer Grandes Coisas...


“Se não puder realizar grandes coisas,
faça pequenas coisas de forma grandiosa.

O que realmente faz diferença é a atenção

que colocamos em tudo o que fazemos,
mesmo nas coisas aparentemente pequenas.

Nada é insignificante, quando a base é o amor.”



Que nossa semana seja iluminada por esta sabedoria!





10 de out de 2019

Idéias Para Adiar o Fim do Mundo



Um livro pequenino, em formato de bolso, com apenas 80 páginas, mas é precioso! 

Quanta inteligência, criatividade e delicadeza nestas três palestras que foram realizadas em Portugal e transcritas para formar o livro...

A primeira é a que dá nome ao livro: Idéias para Adiar o Fim do Mundo, na qual ele faz perguntas muito perspicazes e fundamentais para nossa época. 

"Como é que construímos a nossa idéia de humanidade?

Será que essas idéias não limitam nossa capacidade de invenção, de criação, existência e liberdade? 

Será que não estamos atualizando uma disposição para a servidão voluntária?"

Ele segue trazendo algumas respostas da cosmovisão indígena para elas, que nos fazem refletir e ver as coisas sob outro ponto de vista. 

A segunda palestra é: Do Sonho e da Terra, na qual ele fala  sobre o nome de sua tribo - krenak - que significa "cabeça da terra", e nos conta um pouco sobre como os krenaks se relacionam com o mundo.

"Quando despersonalizamos o rio, a montanha, quando tiramos deles os seus sentidos, considerando que isso é atributo exclusivo dos humanos, nós liberamos esses lugares para que se tornem resíduos da atividade industrial e extrativista. Do divórcio com a nossa mãe Terra, resulta que ela está nos deixando órfãos, não apenas os índios, mas a todos."

A terceira é A humanidade que pensamos ser, onde ele fala de nossa relação com a natureza. 

"Por que tanto medo assim da queda, se a humanidade não fez outra coisa nas outras eras, senão cair?

Então, ao invés de ficar com medo de cair, vamos construir paraquedas. De onde se projetam os paraquedas? Do lugar onde são possíveis a visão e o sonho... no qual o casulo humano se abre para outras visões de vida não limitada."


Airton Krenak é jornalista,  é também um lider indígena respeitado no Brasil e no exterior. Atua como educador e ambientalista.

Como o livro transcreve suas falas, tem um tom bem coloquial, muito agradável de ler. Ele nos passa a impressão de força e suavidade ao mesmo tempo, com trechos muito belos, como os que destaquei aqui no post. 

Muito interessante ver alguém questionar conceitos que temos como certos e imutáveis!... me fez pensar bastante e perceber que existem outras possibilidades e saídas para os impasses atuais. 

A sensação ao final é que nosso horizonte se amplia muito e encontramos novos sentidos para a existência.

Recomendo! Lindo e profundo...



5 de out de 2019

A Lenda do Girassol


Fiquei encantada com esta história porque o símbolo do nosso grupo, que você pode ver na barra lateral, é justamente uma fusão do Sol com o Girassol.

Dizem que existia no céu uma estrelinha tão apaixonada pelo sol que era a primeira a aparecer de tardinha, no céu, antes que o sol se escondesse. E toda vez que o sol se punha ela chorava lágrimas de chuva.

A lua falava com a estrelinha que assim não podia ser, que estrela nasceu para brilhar de noite, para acompanhar a lua pelo céu, e que não tinha sentido este amor tão desmedido!

Mas a estrelinha amava cada raio do sol como se fosse a única luz da sua vida, esquecia até a sua própria luzinha.

Um dia ela foi falar com o rei dos ventos para pedir a sua ajuda, pois queria ficar olhando o sol, sentindo o seu calor, eternamente, por todos os séculos.

O rei do vento, cheio de brisas, disse à estrelinha que o seu sonho era impossível, a não ser que ela abandonasse o céu e fosse morar na Terra, deixando de ser estrela.

A estrelinha não pensou duas vezes: virou estrela cadente e caiu na terra, em forma de uma semente.
O rei dos ventos plantou esta sementinha com todo o carinho, numa terra bem macia. E regou com as mais lindas chuvas da sua vida.

A sementinha virou planta. Cresceu sempre procurando ficar perto do sol. As suas pétalas foram se abrindo, girando devagarzinho, seguindo o giro do sol no céu. E, assim, ficaram pintadas de dourado, da cor do sol.

É por isso que os girassóis até hoje explodem o seu amor em lindas pétalas amarelas, inventando verdadeiras estrelas de flores aqui na Terra.

Nos dias nublados, as flores viram-se na direção das outras para receber um pouco da luz do sol refletida nas pétalas, desta forma, dão força umas às outras.

Diz a lenda que quando o último girassol sumir, o sol se apagará de tristeza, pois não era a planta que girava para ele. Ela apenas dançava e ele, admirado, a seguia.

Linda lenda, não é? 

P.S.: Nas últimas duas semanas estive fazendo um curso no exterior, 
mas em breve retribuirei as visitas e o carinho de todas. 



24 de set de 2019

O Convite - Uma Delícia de Leitura! - Histórias de Cura e Beleza.



"Não me interessa saber como você ganha a vida.
Quero saber o que mais deseja 
e se ousa sonhar em satisfazer os anseios do seu coração.
Não me interessa saber sua idade.
Quero saber se você correria o risco
de parecer tola por amor, pelo seu sonho,
pela aventura de estar viva..."

Assim começa este livro lindo que acabei de ler e já estou lendo de novo! 

Nele, a autora compartilha histórias e também experiências próprias ligadas a cada um dos temas que dão nome aos capítulos: Desejo, Medo, Alegria, Tristeza, Traição, Beleza, Fracasso, Compromisso, Fogo, Sustento Interior e Encontrando o Caminho de Casa.

Mas não é só o conteúdo que encanta, é o como ele é apresentado! Ela conversa com o leitor de forma intimista, parece que estamos sentadas juntas tomando um chá e conversando...Delicadeza, beleza e poesia em cada página!

Meu exemplar está todo grifado nos trechos lindos que quero reler sempre. Ele funciona também como oráculo. Podemos abrir em qualquer página e ler a história que ela conta; sentindo como aquela mensagem ressoa em nós. 

Mas na primeira leitura, recomendo ler na ordem dos capítulos porque todos juntos formam uma história maior. 

Ele está esgotado, mas fácil de achar nos sebos virtuais por um precinho bem em conta. Eu comprei o meu aqui.

Recomendo a todas que buscam auto-conhecimento e transformação pelo amor, pela beleza e poesia. 



19 de set de 2019

Corpo é Amor - Questão da Auto-Estima - Parte 2


O corpo é vivo, não é um objeto muscular. Expande, contrai, absorve, devolve em muitas direções. É permeado de canais. Ele espreme substâncias, imagens, acontecimentos e transforma em tecido a experiência vivida e devolve sob forma de ação, de objetos de linguagem e se conecta com outros.

O corpo vai sonhando com ele mesmo, os sonhos vão ganhando moléculas e assim ganhando  formas. Você precisa decidir o quanto é vítima consumidora de imagem ou o quanto você faz o próprio artesanato de si.

Se você se conectar consigo mesma conseguirá descobrir o seu brilho. E o seu brilho faz de você um ser único, esse é o grande barato.

Vivemos em um planeta em que a tendência é a diminuição da biodiversidade por causa das forças homogeneizantes. Então, quando você brilha, não é  só um prazer individual, é uma contribuição para a biodiversidade. O brilho próprio é uma produção de diferença.

Não  é fácil nadar contra a correnteza, mas certamente valerá à pena tanto para você como para todos ao seu redor. Assuma o leme, crie a sua radical diferença e brilhe.


Se você perdeu a primeira parte, onde explicamos como se constrói a autoestima, clique aqui.

Estes posts foram feitos à partir de nossas discussões no Grupo de Estudos e de alguns trechos de uma entrevista de Regina Favre - terapeuta corporal.