25 de ago de 2016

Amor Verdadeiro x Falso Amor


     A palavra Amor, vem do latim amore e tem no radical am sua raiz; raiz essa que está presente em várias palavras como: amizade, amante, amigo, âmago. O radical am traduz aquilo que é de dentro, que é profundo.

     Portanto o amor é o sentimento capaz de conectar o que há de mais profundo e genuíno entre um ser e outro. Essa ligação pessoal e/ou coletiva denomina-se amor verdadeiro

    O amor verdadeiro é um processo em nossas vidas que está intrinsicamente ligado aos movimentos de amadurecimento, transformação, transcendência, compartilhamento, aconchego e solidariedade.

     No outro extremo há o falso amor, que aprisiona, angustia, manipula, controla, reprime, machuca, enlouquece e humilha. Este, é um sentimento francamente disfuncional, que não deveria receber a denominação de amor.

     No entanto, em nossa cultura, muitos atribuem a esse sentimento a denominação de amor, mesmo que venha acompanhado de adjetivos pejorativos como: amor bandido, amor de malandro, amor sofrido, amor vício, entre outras denominações.

    O amor verdadeiro tem um caráter construtivo e tem a capacidade de despertar o que há de melhor em nós, tanto para nós mesmas quanto para os demais. 

Dra. Ana Beatriz Barbosa  Silva
Psiquiatra 
In: Corações Descontrolados


Este post foi publicado há 3 anos, mas está muito relacionado ao tema do nosso encontro de amanhã, então vamos refrescar a memória...




22 de ago de 2016

Vai de Copinho?


Na semana passada, um dos Grupos de Whatsapp do Mulheres em Círculo (o grupo do Pic-Nic) estava borbulhando de criatividade e trocas entre todas, foi lindo! 

E numa dessas trocas começamos a conversar sobre nossa relação com a menstruação e sobre os absorventes descartáveis, os reutilizáveis e os coletores. Algumas já usando o copinho, outras ainda com dúvidas.

Todas as que passaram a usar dizem: Por que não comecei a usar antes?

É prático, confortável, ecológico, muito econômico (dura a vida inteira) e não vaza.

Sem falar que evita as irritações de pele, não altera a flora vaginal e não fica nenhum odor, porque o sangue não tem contato com o ar.

Uma das nossas amigas nos passou o link para este vídeo da Jout Jout que é excelente! Com aquele humor característico, que nos faz rir mesmo quando o assunto é sério, ela nos fala de sua experiência com o copinho e ensina como usar. Assista! 



Só temos uma observação com relação ao vídeo: ela fala para jogar o sangue no vaso ou ralo. Se você preferir, tudo bem. 

Mas se quiser saber um pouquinho mais, aqui vai:

Na tradição do Sagrado Feminino, o sangue menstrual é sagrado e não deve ser desprezado simplesmente. Deve ser jogado na terra para fertilizá-la. É um sangue limpo e super nutritivo. Isso ainda é feito em comunidades nativas no Brasil e outros países. Antigamente era feito no mundo todo.

Mas aqui na cidade, se você quiser se conectar com esse lado sagrado, sempre que puder despeje o sangue em um recipiente,  dilua com um pouco de água e jogue no jardim ou em vasos de plantas. 

Desta forma você estará se conectando com esta sabedoria ancestral, honrando a Mãe Terra com sua oferta sagrada e suas plantas vão ficar lindas!!!

Achou estranho esse costume? Pois é....como nos afastamos da nossa natureza...Agora esta prática está voltando com força à medida que as mulheres estão se conscientizando de sua importância.

Conte para nós, já teve alguma experiência com o copinho ou com os absorventes reutilizáveis?


Amigas queridas do Grupo Pic-Nic, este post foi inspirado em vocês! Obrigada!



18 de ago de 2016

Nada de Nada.....Histórias Que Curam


Este lindo conto é de Kurt Kauter, traduzido aqui em versão livre.

Sabes me dizer quanto pesa um floco de neve? perguntou um pardal a um pombo silvestre.

Nada de nada... – foi a resposta.


Nesse caso vou lhe contar uma história maravilhosa – disse o pardal.

Eu estava sentado no ramo de um pinheiro quando começou a nevar.

Não era nevasca pesada ou furiosa. Nevava como em um sonho: sem ruído nem violência. Já que não tinha nada melhor a fazer, pus-me a contar os flocos de neve que se acumulavam nos galhos e agulhas do meu ramo. Contei exatamente 3.741.952.

Quando o floco número 3.741.953 pousou sobre o ramo – nada de nada como você diz – o ramo se quebrou.

Dito isso, o pardal partiu em vôo.

A pomba, uma autoridade no assunto desde Noé, pensou um pouco na história e finalmente refletiu:

Talvez esteja faltando uma única voz para fazer a diferença e trazer paz ao mundo.
       
        Talvez a minha ou a sua... 



15 de ago de 2016

Sorteio de Aniversário do Blog!


Hoje o Blog completa 6 anos,
700 posts e
500.000 visitas!

E tantas amizades construídas nesse período...

Agradeço de coração por todo o carinho.

Para comemorar, vamos sortear este lindo livro:
Musas e Músicas
A Mulher por trás da Canção
Rosane Queiroz

Você sabe quem foram as mulheres que inspiraram grandes compositores como Tom Jobim, Gil, Caetano, Dorival Caymmi, Jorge Ben, Vinícius, Toquinho, Chico Buarque, Roberto e Erasmo Carlos e tantos outros, a escrever as canções mais belas da nossa MPB? 

Quem foram Lígia, Drão, Camaleoa, Iolanda, Marina Morena, Anna Júlia, Kátia Flávia, Pérola Negra, Beatriz...

Você vai conhecer as histórias emocionantes das mulheres/musas por trás das 33 canções mais famosas da nossa história musical e também segredos ocultos em alguns trechos, códigos que só os amantes compreendiam...

Uma leitura deliciosa!

Para concorrer ao sorteio, basta ser seguidora do blog e deixar um comentário neste post.

O sorteio será dia 31 de agosto.

Boa sorte a todas!



11 de ago de 2016

Filme - Nise: O Coração da Loucura

Nise: O Coração da Loucura
Brasil - 2016

Conheci o trabalho da Dra. Nise da Silveira há mais de 20 anos, vi pessoalmente as obras dos artistas do Hospital do Engenho de Dentro. É algo realmente impressionante.

Isso descortinou uma nova trajetória em minha vida profissional e pessoal. Tornei-me uma profunda admiradora dessa mestra e quando soube que seria lançado um filme sobre ela, vibrei de alegria!

Esta grande mulher foi uma heroína e deixou um legado de valor inestimável, mudou os rumos do tratamento psiquiátrico dos doentes chamados "crônicos irrecuperáveis" numa época onde não haviam medicamentos disponíveis para o tratamento das psicoses. E tudo através da arte.

Glória Pires está ótima no papel de Nise e os atores que fazem o papel dos pacientes são excelentes. A reconstituição de época é perfeita e muito fiel aos fatos.

Nise da Silveira (1905-1999) foi presa em 1936, durante a Era Vargas, acusada de ter livros subversivos em sua biblioteca. Ficou 1 ano e meio na prisão por causa disso! E depois ficou 8 anos sem poder trabalhar, até que todo o processo se encerrasse.

O filme começa em 1944, no momento do retorno ao trabalho no Hospital Psiquiátrico do Engenho de Dentro. Mostra seu trabalho de criação do Ateliê de Arte-Terapia em 1945, chamado na época de Serviço de Terapia Ocupacional. 

Sabia que sua luta contra o sistema manicomial tinha sido difícil, mas não imaginava que fosse tanto. Ela ainda teve que enfrentar muita discriminação por ser a única psiquiatra do sexo feminino e por ser "subversiva". Que fibra!

Este é um filme intenso, mostra a realidade cruel do sistema manicomial na década de 40. Tem algumas cenas impactantes. Hoje não existem mais manicômios.

Mas é emocionante ver a transformação que ela gerou pela humanização do tratamento psiquiátrico e a valorização das imagens do inconsciente mesmo contra todos os obstáculos criados por seus próprios colegas. 

Viveu 94 anos, lúcida e ativa, teve seu trabalho reconhecido dentro e fora do Brasil, inclusive pelo próprio Jung. E criou uma legião de seguidores...

Em 1952 foi fundado o Museu do Inconsciente do Engenho de Dentro que conserva todas as obras dos pacientes e o seu legado. Foi restaurado recentemente, está lindo. Você pode ver um vídeo do museu com um passeio virtual aqui e um pouco da história dela e obras dos pacientes aqui (são vídeos curtos, mas bem legais).

Nos créditos finais há uma pequena entrevista com verdadeira Dra. Nise já bem idosa, e cenas dos pacientes originais fazendo arte.

Um filme essencial para todos os profissionais de saúde mental e para todas as pessoas que queiram conhecer um pouco desta mulher incrível que se dedicou ao próximo com tanto amor.

Recomendo!

Já não está mais nos cinemas, mas é fácil de encontrar on-line.