19 de jun de 2017

O Significado do Inverno e Cuidados com a Saúde


Dia 21, entraremos oficialmente no Inverno. 

Será a noite mais longa do ano, contendo em si a semente da luz -  que começa a aumentar juntamente com a duração do dia - até chegarmos ao equinócio da primavera, quando o dia e a noite terão a mesma duração.

Na antiguidade esta data era extremamente importante, marcando o Renascimento do Sol e a Regeneração da Terra. Havia muitas festas e danças ao redor do fogo, e o costume de pular a fogueira, que  consideravam uma forma de purificação. Os solteiros que pulassem a fogueira acreditavam que encontrariam seu amor.

Estes costumes sofreram várias mudanças ao longo do tempo. No Brasil temos as festas juninas, uma lembrança desta época. Não é à toa que se canta: “Pula a fogueira Iaiá, pula a fogueira Ioiô..."


Neste período é importante acompanharmos o recolhimento da natureza e reservarmos um tempo diariamente, para silenciarmos e ouvirmos nossa voz interior, percebermos quais são nossos reais valores, nossos desejos e sonhos que anseiam por ser realizados nesta vida, pois o inverno é o tempo da semente que irá germinar na primavera.


Saúde
Com relação à saúde: as temperaturas mais frias são propícias para exercícios  vigorosos que ativam a circulação do sangue e aquecem o corpo. Também é preciso cuidar dos rins, o órgão chave desta estação, tomando muitos líquidos como sopas, caldos, chás…


Use  e abuse do gengibre nos chás e sopas, ele desintoxica o fígado e tonifica os rins, aumentando o fluxo da energia vital. O cravo e a canela, o mel e o limão também são bem vindos, ajudam a esquentar e a combater infecções.

O Inverno é o tempo do conforto, da boa comida, do aquecimento, do toque da mão amiga, da conversa ao pé da lareira: é o tempo do lar.


Do ponto de vista espiritual é uma época de regeneração, purificação e recolhimento. Quando refletimos sobre nosso caminho e fazemos as correções necessárias na trajetória para seguirmos na direção correta. O momento de vislumbrar o futuro, meditando e confiando nas orientações da nossa voz interior. É a incubação.

“A consciência de uma planta no meio do inverno não está voltada para o verão que passou, mas para a primavera que irá chegar. A planta não pensa nos dias que já foram, mas nos que virão. Se as plantas estão certas de que a primavera virá, por que nós – os humanos – não acreditamos que um dia seremos capazes de atingir tudo o que queríamos?”
Khalil Gibran



12 de jun de 2017

Ah…O Amor...


É muito freqüente as pessoas procurarem ajuda porque estão infelizes no amor. 
A maioria quer que o outro faça e diga coisas que as deixem felizes, mas poucas mostram-se preocupadas em proporcionar momentos de ternura e de alegria ao outro. São raras as pessoas que se dedicam a cultivar o amor. Sim, parece clichê, mas o amor precisa ser cultivado e cuidado sempre...
Isso me fez lembrar de um trecho do livro que estamos estudando, uma dica preciosa:

Tanto homens quanto mulheres querem brincar. Picasso brincou até morrer. 
Quando digo brincar, quero dizer ter uma relação muito próxima com a imaginação, que você está criando constantemente. Cada minuto é novo, espontâneo. Este é o princípio feminino. Assim a vida nunca fica aborrecida.
No casamento, cada um deve individualmente dizer: "Vamos imaginar de que maneira podemos brincar, de que maneira podemos levar alegria um ao outro.”  Não é preciso dinheiro, apenas um gigantesco salto de fé.

Marion Woodman
In: A Feminilidade Consciente

Feliz Dia dos Namorados!


Esta é uma postagem antiga, trouxe novamente porque tem a ver com o momento que estamos vivendo.


5 de jun de 2017

Momento de Revitalização - Invocando a Sabedoria Interior


Deixe as mãos repousando suavemente em seu peito.

Permita que a respiração toque suas mãos à partir de dentro, 
como se as estivesse beijando.

Deixe a consciência se assentar neste espaço do coração.

Aqui está o trono da sua guru interna, sua guia interior.

Estabeleça em si mesma essa disposição de honrar, de reverenciar.

De realizar uma prostração interna em frente ao trono do seu coração.

E apenas respire...

Chameli Ardagh



29 de mai de 2017

Correndo com Lobos - Capítulo 10 - O Resgate da Vida Criativa


Já estamos no capítulo 10, um dos mais densos do livro. São dois contos de espanto, assustadores mesmo, mostrando tudo o que não se deve fazer; para ver se a ficha cai, não é? E o terceiro conto mostra a saída.

Todo este capítulo é dedicado ao cuidado que precisamos ter com nossa alma para preservar e resgatar a vida criativa.

Foi um encontro muuuito longo! Impossível falar de tudo que trabalhamos...Mas vou destacar alguns pontos chave.


O primeiro conto: "La LLorona",  mostra o que acontece quando uma mulher coloca o centro de sua vida em outro lugar que não seja dentro dela mesma. No conto, sua âncora está no homem que ama. No momento em que ele a troca por outra ela fica à deriva e destrói tudo o que vê pela frente, inclusive a si mesma. Se você não tem o livro, pode ler o conto aqui

A mensagem deste conto é muito clara: ancore-se na sua própria vida interior, crie um espaço de cuidado e carinho para si mesma, não espere que os outros façam o que somente você pode fazer por si mesma.


O Segundo Conto: "A Menininha dos Fósforos" também é muito impactante. (Se você não tem o livro pode ler o conto aqui.

Os alertas  deste conto: Se você está num lugar que não lhe faz bem, que drena sua energia, saia daí!  E as pessoas que não valorizam sua alma, suas idéias, sua arte, seu trabalho; não merecem o seu tempo!

Não faça como a menininha do conto, não venda sua luz. Lembre-se do que a autora diz em todos os capítulos: A ingenuidade não é um atributo da mulher selvagem.

O terceiro conto : "Os Três Cabelos de Ouro", mostra que somente podemos recuperar a energia e o frescor da vida se nos permitirmos parar! (se não tem o livro, pode ler o conto aqui).

A última grande lição do capítulo é: crie tempo para cultivar a sua alma, para fazer aquilo que te nutre, inclusive para poder simplesmente não fazer nada e sonhar...

No ano passado aprendemos bastante sobre os  cuidados com o músculo íleopsoas, o "músculo da alma". Neste ano vamos aprender a modular o nervo vago, o "nervo da alma". 

O maior nervo do corpo humano, que se estende desde a cabeça, pescoço, árvore respiratória, coração, diafragma até o abdome. Regulando muitas funções vitais como pressão arterial, respiração, batimentos cardíacos, digestão e principalmente a sensação de bem estar.

Nas vivências de consciência corporal trabalhamos a respiração: soltando as tensões musculares das cadeias posteriores, desbloqueando o diafragma e trazendo a consciência para o lugar onde a respiração nasce. Para aprender a regular o nervo vago e trazer bem estar para corpo e mente.



Pois como já vimos: A respiração é a senhora da mente. E para poder parar, ancorar em si mesma, centrar-se, é preciso respirar!

E o que é a meditação senão parar e focar sua atenção em outra coisa que não sejam seus próprios pensamentos?


Depois partimos para o Movimento Autêntico, uma prática profunda e muito transformadora, que integra todo o corpo e expande a alma.

Expressamos nossas emoções e imagens interiores através da escrita poética que você poderá ver aqui.

Ufa! Muita coisa, hein....

Vocês estão de parabéns, fizemos um lindo trabalho e no mês que vem tem mais: O Resgate da Sexualidade....





22 de mai de 2017

Filme - Moana - Um Mar de Aventuras

Moana
Um Mar de Aventuras
Disney - 2016

Este belíssimo filme tem tudo a ver com o tema que trabalharemos no encontro deste mês. 

Chega de princesas esperando pelo príncipe encantado. Agora as meninas têm outros interesses na vida, como por exemplo...salvar o mundo!

O roteiro é bem criativo e baseado na mitologia da Polinésia, vai encantar adultos e crianças. Sem falar nos efeitos especiais maravilhosos.

Mostra que a força da natureza, representada pela Deusa Te Fiti,  pode ser criativa ou destrutiva, dependendo do respeito com que for tratada.

Fala sobre atender ao chamado interior e descobrir seu lugar no mundo, apesar das dificuldades.

Todas as personagens femininas são fortes, cada uma à sua maneira: a avó com sua "loucura",  seus enigmas e histórias; a mãe com sua constância e apoio no momento certo; e Moana é claro, com uma determinação invencível. 

Não há a madrasta malvada e a mocinha passiva, vítima do destino...Os tempos estão mudando até na Disney!

Achei interessante ver que mesmo o Semi-Deus Maui, que seria o vilão, tem muitos aspectos humanos: contradições, dúvidas, angústias, vaidade...Na verdade, ele tem um papel que na psicologia é denominado "trickster",  ou seja, um personagem que age de formas não convencionais para que o herói ou heroína se desenvolvam.

Através dos obstáculos que ele cria, Moana cresce e se fortalece. Mas no final ele consegue perceber seu erro e torna-se um aliado para que ela possa completar sua missão.

Ela é ótimo exemplo do que Clarissa Pínkola Estés chama de "a mulher selvagem", ilustra bem os temas que serão discutidos no capítulo 10.

Uma delícia de filme, recomendo a todas!